Crítica | Guardiões da Galáxia Vol. 2 (sem spoilers)

Uma equipe espacial do século XXXI oriunda de uma realidade paralela, os Guardiões da Galáxia foram criados por Arnold Drake e Gene Colan em janeiro de 1969 na revista Marvel Super-Heroes #18. Ao longo das décadas jamais gozaram de um prestígio sequer similar ao das inúmeras equipes de super-heróis da Marvel Comics. Coadjuvantes esquecidos por muito tempo, foram reformulados em 2008 para a saga Aniquilação: Conquista por Dan Abnett e Andy Lanning, que estabeleceram uma nova formação com a junção de alguns personagens recorrentes nas grandes sagas cósmicas da editora, como Drax, o Destruidor, Adam Warlock, Quasar e Gamora, e outras criações obscuras na sua cartela infinita de personagens, como Senhor das Estrelas, Rocket Raccoon e Groot.

Dos quadrinhos para os cinemas, Guardiões da Galáxia foi anunciado oficialmente em 2012 – com a possibilidade de um filme do grupo tendo sido aventada por Kevin Feige ainda em 2010. O décimo filme do universo cinematográfico da Marvel era uma aposta arriscada, que dependia de um marketing eficiente e de uma mistura ajustada que conquistasse o espectador. O resultado não poderia ser melhor: sucesso comercial, de público e de crítica, Guardiões da Galáxia entregou como resultado final uma divertida space opera oitentista ambientada em um universo multicolorido abundante de planetas e raças, bebendo diretamente em elementos de filmes como Star Wars e Indiana Jones. A direção competente de James Gunn, o roteiro bem amarrado, os ótimos efeitos especiais, os personagens carismáticos, a combinação entre humor e ação e a espetacular trilha sonora com canções dos anos 1960 e 1970 alçaram o bando de desajustados formado pelo anti-herói engraçadinho, a guerreira durona e perigosa, o brutamontes que entende tudo de maneira literal, o guaxinim falante cínico e sarcástico e a árvore humanoide que diz apenas três palavras a fenômenos da cultura pop.

O enredo de Guardiões da Galáxia Vol. 2 é extremamente simples e transcorre poucos meses após os eventos de Guardiões da Galáxia. O grupo, ainda formado por Senhor das Estrelas (Chris Pratt), Gamora (Zoe Saldana), Drax (Dave Bautista), Rocket (Bradley Cooper) e Baby Groot (Vin Diesel), é contratado pelos Soberanos, uma raça de criaturas douradas, presunçosas e geneticamente perfeitas lideradas pela sacerdote suprema Ayesha (Elizabeth Debicki), para proteger um conjunto de baterias extremamente valiosas do ataque de uma criatura interdimensional que parece saída de um conto de H. P. Lovecraft. A missão é cumprida sem maiores problemas e o grupo recebe o seu pagamento: a custódia de Nebulosa (Karen Gillan), irmã de Gamora. Mas Rocket – sempre ele – rouba parte das baterias. Os Soberanos não perdoam a traição e colocam uma frota estelar no encalço da equipe através de vários quadrantes do universo até Ego (Kurt Russell), uma poderosa criatura que já viveu por milhões de anos, e sua fiel escudeira Mantis (Pom Klementieff) surgirem no meio do caminho e levarem a narrativa para um outro rumo.

Uma cena no Missouri dos anos 1980 abre o filme, mostrando Ego e Meredith Quill (Laura Haddock) ainda jovens e apaixonados – e aqui a Marvel Studios repete o que fez com Michael Douglas em Homem-Formiga e Robert Downey Jr. em Guerra Civil e rejuvenesce Kurt Russell de um modo espetacular. Corta para o presente: o combate contra a criatura interdimensional é um dos mais incríveis já vistos em filmes de super-heróis e dita o tom de todo o resto do filme. James Gunn constrói um inventivo e extremamente bem coreografado plano-sequência que subverte a ação e o seu foco, destinando a câmera a perseguir um inocente e extremamente distraído Baby Groot, que esquece da vida por longos minutos enquanto passeia dançando pelo cenário em um quase número musical ao som de Mr. Blue Sky, da Electric Light Orchestra. Peter Quill, Drax, Gamora e Rocket enfrentam o monstro ao fundo preocupados com o risco do pequeno gravetinho se machucar durante a feroz batalha e há espaço inclusive para uma hilária referência à cena pós-créditos entre Drax e Baby Groot no fim do primeiro Guardiões da Galáxia.

Toda a anarquia que caracterizou o filme de 2014 está de volta. James Gunn pegou tudo que deu certo e duplicou. Triplicou. Quadruplicou. O escopo de Guardiões da Galáxia Vol. 2 é outro: tem mais humor, mais ação, mais provocações, mais brigas, mais cores, mais planetas, mais alienígenas, mais loucuras, mais bagunça, mais surtos, mais troça, mais tudo. O estilo peculiar de Gunn se faz presente ainda mais exagerado e estilizado, em uma mistura frenética de cores, elementos trashs, drama e humor. Sua direção é competente, com belos planos, slow motion pontual e um senso de posicionamento na filmagem da ação que permite ao espectador compreender tudo que acontece nas composições, por mais que existam tantos elementos em tela o tempo inteiro. A fotografia de Henry Braham é a mais deslumbrante de todos os filmes da Marvel Studios: tudo é muito vívido e variado e o trabalho da direção de arte, dos efeitos visuais e da maquiagem é impecável – Guardiões da Galáxia Vol. 2 tem tudo para repetir o êxito do primeiro e competir em premiações nos dois últimos quesitos. Todos os cenários e novas raças são criados com um detalhismo absurdo, garantindo características únicas para cada coisa que é mostrada em cena (mesmo que tal coisa apareça por míseros segundos) tornando crível a expansão desse universo para galáxias mais distantes e configurando-se em um deleite para os olhos dos espectadores.

Cada cena parece uma mistura de uma HQ dos anos 1960 e 1970 com um filme “B” de ficção científica ou terror da década de 1980: tudo é caricato, berrante e espalhafatoso. Aliás, Guardiões da Galáxia Vol. 2 parece um filme “B” produzido com grande orçamento, por mais contraditória que essa sentença possa parecer – e acredite, esse é o maior elogio que se pode fazer ao filme. No caldeirão de referências pops de James Gunn há espaço para um insano combate espacial que parece uma versão cinematográfica de Space Invaders, armas gigantescas, e uma inserção hilária que referencia Mary Poppins (1964) em um momento crucial da narrativa. De um bordel intergaláctico, em um planeta gelado para a louca viagem interdimensional que Yondu, Rocket, Baby Groot e Kraglin (Sean Gunn) vivenciam, com seus rostos e corpos distorcendo-se no tecido da realidade que vai sendo esticado, passando por uma sequência na terra que é uma belíssima homenagem a dois clássicos do terror trash, A Bolha Assassina (1988) e A Coisa (1985), há de tudo no caldeirão surrealista de Guardiões da Galáxia Vol. 2.

A trilha sonora está ainda mais encaixada na narrativa, de um modo inteiramente orgânico – e os temas originais de Tyler Bates funcionam muito bem. O Awesome Mix Vol. 2 é mais uma miscelânea que o primeiro: tem mais ritmo, mais balanço, mais emoção – My Sweet Lord, de George Harrison é a “cara” do filme. Ego e Peter Quill chegam a dialogar sobre a letra de Brandy (You’re A Fine Girl), do Looking Glass durante a história, e Peter Quill e Baby Groot dividem os fones de ouvido ao som de Father and Son de Cat Stevens em um momento belíssimo. O grande diferencial do Vol. 2 em relação ao primeiro filme é o seu centro emocional, ainda mais evidente e explorado. O humor excessivo é um verniz para uma história que se apresenta surpreendentemente emocional e por vezes até mesmo melancólica. As relações familiares e espelhadas entre os personagens são desenvolvidas com talento – e sem a necessidade de introduzir cada um dos personagens e estabelecer uma narrativa que os conduzisse a formarem um grupo (eles já são mais do que um grupo, são uma família), James Gunn, diretor e roteirista, encontra-se livre para aproveitar cada minuto do longa-metragem.

Yondu (Michael Rooker) é o elo entre o passado e o futuro dos Guardiões da Galáxia, o personagem que mais ganha contornos e novas dimensões, vivendo uma comovente e bem estruturada jornada de redenção que dialoga – e auxilia – no desenvolvimento narrativo de Peter Quill, seu filho adotivo, de Rocket, que descobre ser mais parecido com o líder dos Saqueadores do que imaginava, e até mesmo de Kraglin, seu leal soldado – Sylvester Stallone tem uma participação pequena mas importante na história de Yondu e sua cena ao lado de Ving Rhames, Michelle Yeoh e Michael Rosenbaum abre novas e incríveis possibilidades para o futuro do universo cósmico da Marvel; Nebulosa e Gamora possuem contas a acertar que parecem nunca acabar, sempre brigando, sempre se odiando, sempre competindo, mas no fundo incapazes de deixarem o orgulho de lado e se aceitarem como irmãs que são e que sempre quiseram ser, mas nunca conseguiram por terem sido criadas por um pai que é Thanos, o Titã Louco; Mantis e Drax encontram-se na estranheza e no humor – e o timing cômico de Dave Bautista está ainda mais afiado, com o ex-lutador de WWE provando-se definitivamente um achado de James Gunn. Drax lamenta suas perdas familiares e sem querer ofende a todo instante a doce e aérea Mantis, que apesar de ser uma empata (e seus poderes são bem explorados pela narrativa, tanto em sequências cômicas quanto em cenas emocionais), é incapaz de perceber as intenções por trás de qualquer coisa que lhe digam; Rocket é o mais chato e odiado da equipe, o rebelde sem causa que na dinâmica com Yondu é forçado a perceber o quanto esconde seus sentimentos sob essa capa de indiferença, e que no fim só quer mesmo é ser amado; Baby Groot é o alívio cômico e o bebê adorável de quem toda a família cuida em meio ao caos das incessantes sequências de ação e Peter Quill finalmente encontra o seu pai (Kurt Russell rouba a cena sempre que aparece) e precisa lidar com o seu passado e todos os traumas e vazios que a ausência da figura paterna deixou em sua vida, enquanto seu relacionamento com Ego flui de maneira natural – natural até demais.

Guardiões da Galáxia Vol. 2 subverte a “fórmula Marvel” e se apresenta como uma espécie de ópera-bufa do início ao fim, funcionando de maneira independente tanto do universo cinematográfico da Marvel quanto do seu próprio filme antecessor. A montagem incessante de Fred Raskin e Craig Wood lança cena após cena como se estivéssemos diante de uma HQ em movimento passando página por página, intimista e simples na essência e grandiosa e louca no visual. Mas não se engane: há um coração pulsante em meio a tanto humor e galhofa. James Gunn construiu um drama familiar – que faz as engrenagens da trama moverem-se em todos os atos – travestido de comédia, transitando com organicidade entre os dois estilos (algo para poucos), sensível, comovente e sem vergonha de ser o que é em todas as suas dimensões: insano, colorido, divertido, escrachado e emocional. Para além da loucura dos personagens de quadrinhos, do humor, da ação e dos efeitos visuais primorosos, o grande acerto de Guardiões da Galáxia Vol. 2 encontra-se nos dramas universais das interações humanas e fraternais de seus personagens absurdos mas dotados de almas profundamente humanas e sensíveis.

obs 1: tem cena pré-créditos, pós-créditos, paralela aos créditos, e os próprios créditos são repletos de referências e easter eggs dos anos 1980 e do universo cinematográfico da Marvel. Uma cena curta que aparece no meio do filme e reaparece ampliada na última das cinco cenas extras é de explodir as cabeças dos fãs de quadrinhos e fazer nascer as mais incríveis teorias sobre o futuro dos filmes da Marvel.

obs 2: esse texto foi escrito ao som da Awesome Mix Vol. 2 – repetida inúmeras vezes.

Autor: Rodrigo Oliveira

Guardiões da Galáxia Vol. 2 (Guardians of the Galaxy Vol. 2) – EUA, 2017, cor, 137 minutos.
Direção: James Gunn. Roteiro: James Gunn. Música: Tyler Bates. Cinematografia: Henry Braham. Edição: Fred Raskin e Craig Wood. Elenco: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Michael Rooker, Karen Gillan, Pom Klementieff, Kurt Russell, Elizabeth Debicki, Sean Gunn, Sylvester Stallone, Michael Rosenbaum, Chris Sullivan, Miley Cyrus, Tommy Flanagan, Ving Rhames, Michelle Yeoh.

  • Quebra Mundos

    Assisti o filme hoje a tarde. Coitada da mantis, o drax judiou bonito da mina.

  • Felipe Pinheiro

    Excelente post. Vou assistir Guardiões esse sábado e fico contente em vê, tanto na sua crítica quanto em outras que eu já vi, que o Gunn conseguiu trabalhar muito bem cada personagem individualmente e que a história mantêm o espirito cativante do primeiro filme. Minha ansiedade só aumenta assim!

  • Quebra Mundos

    Assisti hoje de tarde, coitada da mantis, drax judiou bonito da mina no filme.

  • Kaecilius, O Fanático

    Rodrigo, excelente crítica!
    Guardiões 2 é sensacional! É tudo o que o público e esperava e ainda mais! A relação entre a equipe está ótima. Nunca pensei que o Yondu iria ganhar tanto destaque e ele virou um dos meus personagens favoritos do longa! A Mantis estava fantástica, quero muito vê-la em Guerra Infinita. O Kurt Russel estava SENSACIONAL! A Elizabeth Debicki tem uma presença fortíssima em cena e promete trazer muitos problemas para os Guardiões no futuro! A maquiagem do filme estava ótima também. E as cenas que tocam “The Chain”, meu amigo, por dentro eu estava vibrando kkkkkkkkkkkk. Agora que minha missão de ver o filme foi concluída tenho que tentar cumprir a próxima: vê-lo de novo kkkkkkkkkkkk.

    Pergunta: Vc preferiu esse ou Logan? Não posso responder ainda pq ainda estou meio em êxtase pós-sessão kkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Rodrigo

    Valeu. O Gunn realmente trabalha os personagens nesse filme de um modo único. É um filme sobre uma família essencialmente, travestido de filme de ação e comédia.

  • Rodrigo

    A interação entre os dois foi uma das melhores coisas do filme. Simplesmente incrível. E ela, tadinha, não entendia quase nada dos ataques, (“Eu sou repugnante”, com um sorriso no rosto…rs).

  • Rodrigo

    Valeu, meu amigo. Assim como no primeiro, os efeitos visuais e a maquiagem estão acima da média. É bem provável que concorra novamente a premiações nesses quesitos. Em matéria visual, é um dos melhores de heróis que já vi – e achei ainda mais surtado que Doutor Estranho. Aquela viagem interdimensional foi um negócio surreal, muito incrível. O grande destaque sem dúvida foi o desenvolvimento que ele deu para os personagens, todos eles. Yondu é essencial no filme e o Rooker manda bem demais. Também foi um dos que eu mais gostei.

    Por mais que não possa parecer em uma primeira olhada, os dois filmes são muito similares, por mais que sejam estilos e visuais distintos. Tanto Logan quanto Guardiões da Galáxia Vol. 2 são sobre família. Em Logan é a família prestes a de desintegrar com os problemas de saúde (Xavier e Logan) e que recebe um novo membro (Laura), em meio ao caos; em Guardiões da Galáxia é a família disfuncional que precisa se acertar e se encontrar em seus problemas e divisões em meio ao caos. Enquanto um é um drama de ação com momentos de humor, o outro é uma ação com comédia com um cerne dramático. Acho que Guardiões da Galáxia Vol. 2 consegue ser melhor porque o vilão (ou vilões) é muito mais bem construído do que em Logan.

  • Kal-El de Krypton

    Aff, queria assistir, mas fiquei gripado, só semana que vem agora.

  • Quebra Mundos

    Tinha um Gordo (Sem querer Ofender o cara) que estava sentado na fileira de trás a que eu estava, o cara estava passando mal de rir, to no aguardo da critica com spoilers, achei bem legal aquela cena pós credito do Groot adolescente.

  • Quebra Mundos

    Mora aonde? Aqui no Rj vai ter sessão no Final de semana.

  • Kal-El de Krypton

    Paraná.

  • kamalla

    Excelente crítica, Rodrigo! Empolgadíssima para o filme, vou assistir amanhã ainda. Sua crítica está diferente das demais que vem sendo lançadas que falam a mesma coisa parece que ta combinado (ou colado). O que adoro no GIA é que não trabalham com nota isso fico para gente julgar, voces apenas analisam.

  • Rodrigo

    Na minha sessão era o grupo que estava do meu lado, quase morreram de tanto rir, e escandalosamente…rs

  • Rodrigo

    Que pena. Pra mim foi um suplício assistir ontem de madrugada, porque eu também não estava me sentindo muito bem – mas já estava no cinema, então ou ficava e tentava ver até o fim ou ia embora.

  • Quebra Mundos

    A sessão que eu fui tava bem vazia tinha bem pouca gente.

  • Kal-El de Krypton

    Eu acho que não aguento sai de casa, e duvido muito que vo ta 100% antes de segunda ou terça feira. O jeito e evita um pouco a internet. Uma pena parece que o filme ta tão bom e herdou o “espírito” do primeiro filme (que foi o que fez dele um sucesso que todo mundo gostou).

  • Rodrigo

    Valeu! Acredito que você irá gostar do filme. Tudo que fez o primeiro tão bom voltou em triplo nesse…rs É uma aventura surtada do início ao fim. Também acho que quando escrevemos sem dar notas é melhor: que cada um leia a análise e a partir dela tire suas impressões do que foi dito.

  • Rodrigo

    Sim, o espírito do primeiro filme está todo nesse, e ainda mais exagerado.

  • Assistir GdG ou comprar Renascimento…

  • Pedro, o Homem Sem Medo

    Venda um rim, assim você poderá aproveitar ambos;-)

  • Pedro, o Homem Sem Medo

    Mais uma excelente crítica, meu amigo. Ainda não sei o dia que eu irei ao cinema, mas não passará desse fim de semana. Confio no seu julgamento, então estou com boas expectativas. Que seja tão bom quanto o primeiro:-)

  • Rodrigo

    Valeu, meu amigo. Você irá gostar. Tão bom quanto o primeiro e, na minha opinião, melhor, já que tem tudo que o primeiro tem só que multiplicado por dez.

  • Rodrigo

    Valeu. Acredito que não irá se decepcionar. O filme é realmente do k7!

  • Quebra Mundos
  • Pedro, o Homem Sem Medo

    Se fosse o Dave, eu mandaria ele se prostituir…kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Deathstroke

    Ótima crítica Rodrigo!
    Ainda não assisti. Acho que vou no sábado ou no domingo.

  • Herbie: O escritor

    ótima crítica,admito que tinha um medo desse filme ser ruim por causa do hype maior,no primeiro filme foi uma surpresa,na época vi gente que não tava muito empolgada.
    Ainda bem que conseguiu se manter e ser pelo jeito ainda melhor que o primeiro.
    Essa última cena pós crédito foi de explodir a cabeça!
    Esse ano tem tudo pra ser o melhor,já tivemos Logan que foi um ótimo filme e Guardiões que pelo que todo mundo fala também.

  • Herbie: O escritor

    Como você verá o filme se você é Matt Murdock?

  • Clementine Kruczynski

    Como sempre de parabéns pelo o texto Rodrigo, eu sou apaixonada pelo o primeiro filme(meu filme preferido da MCU) e ao que tudo me parece vou amar ainda mais esse, pois o que o Gunn fez com esse grupo de personagens desconhecidos foi algo de admirar de tanto que deu certo, hoje pode se admitir que eles são um ícone pop ,Rocket e Groot já podem ser considerados personagens simbólicos estilo R2D2 e C3PO de Star Wars.
    Ja guardei meu dinheiro do cinema há dias, mesmo q tenha q enfrentar filas sei q vai valer a pena

  • Morgiana

    Como sempre, as críticas do Rodrigo são muito boas. Além de bem escritas agregam boas informações. È bem legal ler críticas como essa logo após sair do cinema, ainda estou comovida com o filme.

  • Rodrigo

    A HQ dá pra ler por scan e comprar depois. Se perder o filme no cinema, vai levar tempo pra conseguir ver em boa qualidade…rs – e é o tipo de filme pra se ver no cinema, porque o visual é incrível..

  • Rodrigo

    Obrigado! O que o Gunn fez é de se admirar mesmo. É incrível, um grupo que permaneceu obscuro nas HQs por décadas, apenas mais um entre as infinitas criações dos quadrinhos, e que de repente um filme consegue transformar em fenômeno pop, e fazer um guaxinim falante e uma árvore humanoide tornarem-se amados e simbólicos… precisa de muito talento para isso. E Gunn repete a dose nessa sequência. São duas horas de entretenimento puro, dinheiro muito bem investido.

  • Rodrigo

    Obrigado! O filme é muito emocional mesmo. SPOILER a seguir. O que foi aquela morte no final? Cena belíssima. E o funeral dos Saqueadores depois? O festival de cores no espaço, Kraglin emocionado, socando o ar, aquilo era a representação do público naquela hora…rs

  • Pedro, o Homem Sem Medo

    “O essencial é invisível aos olhos.”

  • Rodrigo

    Valeu! Se gostou do primeiro, provavelmente irá gostar desse também.

  • Morgiana

    Foi lindo demais, eu chorei nessa parte. Se não bastasse a morte pra me fazer chorar, depois eu já estava conseguindo me “recuparar” sem dar muito na cara (estava tentando esconder que tava chorando XD), daí veio o funeral dos saqueadores, puts, não aguentei de novo.

    Edit: Ainda bem que sempre tem as cenas pós-créditos, deu tempo pra eu disfarçar mais. E me ajudaram a recuperar pq foram engraçadas. Alias, até os créditos estavam bonitos nesse filme, estiloso. XD

  • Herbie: O escritor

    Estou curioso para ver a formação dos Guardiões depois de Vol.3,o que vai demorar muito kkkk

  • Rodrigo

    Kkkkk O funeral foi demais. Stallone reaparecendo, e a cena com muito mais significado depois daquele encontro dele com Yondu naquele planeta. E de quebra ainda teve a reunião dos Guardiões originais em seguida. Tomara que utilizem o grupo em um filme futuro. Caramba, Stallone e Ving Rhames, esse grupo tá demais.

    A relação entre Drax e Mantis, hilária, também teve seus momentos emocionais incríveis.

    Pois é, dessa vez os próprios créditos tiveram suas referências e easter eggs…rs Seria legal se fizessem assim mais vezes.

  • Rodrigo

    Cara, uma formação com Sylvester Stallone liderando e Ving Rhames no time, sem contar os coadjuvantes Michelle Yeoh e Michael Rosenbaum, a Marvel precisa fazer isso acontecer. Contrata um Bruce Willis e uma Milla Jovovich para fechar o time com dois novos personagens e faz um Guardiões 4 com essa equipe. Mais sucesso na certa.

  • Herbie: O escritor

    Exato<spoiler

  • Morgiana

    É, Drax e Mantis funcionou muito bem, tanto o humor como na parte que mostraram mais emoção. Gostei de todos os personagens, gostei bem mais da Nebulosa tb nesse filme, deixou aquele gostinho de querer vê-la mais vezes. Dessa vez ela foi bem mais carismática, ao seu modo.
    Eu não conheço dos quadrinhos, mas tb quero muito ver o grupo do Stallone que se formou, ele foi outro que funcionou muito bem no filme.
    Tomara mesmo que façam mais créditos assim, Guardiões é uma boa influência. XD

  • Estephano

    Excelente Critica.
    Guardiões é do K7. Anos 80 puro.
    A dinâmica do grupo continua demais, as novas adições se encaixam perfeitamente, trilha sonora e visual novamente de encher os olhos. James Gunn surtou ainda mais nesse, é como você falou, pegou tudo que deu certo e duplicou. Triplicou. Quadruplicou.
    Drax ficou ainda melhor nesse filme. Kurt Russel ficou incrível como Ego, a forma de planeta ficou sensacional. Yondu ganhou várias camadas… Todos os membros dos Guardiões estão muito bem. O filme é mais um acerto de James Gunn.

  • Estephano

    Pedro, vai ter cenas que farão o seu marveco interior (exterior, espiritual, psicológico ou sei lá mais o que) SURTAR, e algumas duram pouquíssimos segundos.

  • Rodrigo

    Valeu, meu amigo. Então o cheque do Kevin Feige chegou, né? Por isso você gostou do filme…rs Gunn conseguiu trazer muito mais coisa pro filme e fazer funcionar bem. O Vol 2 é maior e melhor.

    “– Mary Poppins é legal? – Sim, ELE é legal… – Pessoal, eu sou o Mary Poppins! Histórico…kkkkkkkkkkkkkk Pac-Man, os Space Invaders dos Sobernaos… e os Vigias, putz, os Vigias, não, não dois, mas três!

  • Estephano

    Felizmente chegou. Já tava com um texto de oito parágrafos pronto para criticar as cores e o humor, mas felizmente já compensou.

    E os visuais do planeta Ego e das naves dos Ravagers no final? Sensacional! Uma das participações mais épicas do Stan Lee. Que cena, meu amigo. Que cena!

  • Andrey Hugo

    Rodrigo, excelente crítica!

    Pretendo ir na segunda conferir o filme e verificar se vimos as mesmas coisas rsrs.
    Aí volto aqui para compartilhar.
    Novamente, meus parabéns.

    Você poderia me tirar uma dúvida? Em que momentos dos créditos exatamente aparecem as 5 cenas pós-créditos? Só por curiosidade

  • Rodrigo

    Ainda bem, mais um espectador comprado pelo império do mal.

    Cara, o funeral dos Saqueadores foi um negócio espetacular! Um festival de cores incrível. E de quebra ainda me botam Stallone “retomando” a sua própria equipe, putz. O lado cósmico da Marvel sempre foi o que eu mais gostei nas HQs (Surfista Prateado não é meu personagem predileto à toa) e de todas as franquias do UCM, Guardiões por enquanto é a única a explorar essa seara. Eu espero que na Fase 04 tenhamos mais franquias cósmicas além de Guardiões. É um universo riquíssimo a ser explorado e que permite visuais soberbos nas mãos certas.

  • Rodrigo

    Valeu! Beleza, aguardo suas impressões sobre o filme. Espero que goste.

    Cara, tem uma cena pré-créditos, assim que o filme acaba, antes que eles comecem. No decorrer dos créditos têm mais três cenas (e os próprios créditos são cheios de referências e easter eggs) e depois que os créditos terminam aí sim tem uma cena pós-créditos.

  • zoeirinho da internê

    Mal posso esperar pra assistir no Domingo 🙂 🙂 🙂

  • Rocky

    Ei Clementine, tudo bem?Desculpa a pergunta besta, você é uma menina?XD

  • Warlock Prime

    Excelente crítica Rodrigo. Como é bom sair do cinema com aquela sensação de que o dever foi cumprido e com maestria. O filme possui um visual incrível, todos do elenco estão afiadíssimos, as relações entre os personagens e suas motivações são muito bem trabalhados, a trilha sonora mais uma vez se faz muito eficiente e se conecta com tudo que acontece, as referências e cenas pós-créditos foram demais. Que expandam nos próximos filmes esse universo cósmico maravilhoso, é lá que a Marvel possui alguns dos personagens mais fantásticos. Guardiões é do K7 mesmo!!!

  • N1N6U3M

    Li toda a crítica, é como um aperitivo antes de ver o filme que verei na terça-feira da semana que vem.

    Provavelmente serei um dos que vai considerar esse segundo filme melhor do que o primeiro, pois costumo avaliar as adaptações cinematográficas pela dificuldade técnica de amarrar tantos elementos complexos, administrando desde o ego dos atores até a dosagem entre efeitos práticos e CGI num caldo de referências aos quadrinhos e a cultura POP.

    Por esses motivos que considerei o Capitão América – Guerra Civil melhor do que o Capitão América – O Soldado Invernal, pela dificuldade técnica na emulação de elementos quadrinísticos. Acredito que avaliarei melhor o Guardiões 2 seguindo essa mesma lógica, mas só vendo o filme para confirmar.

    A critica do Rodrigo foi perfeita também por mostrar que podemos confiar no James Gunn, ele é uma espécie de porta voz dos nerds, é o nosso representante direto no Marvel Studios. Se temos algumas chances de vermos sagas cósmicas mais obscuras no cinema é por intermédio do trabalho desse cineasta, que vai ser tão ou mais importante atuando como supervisor do que foi atuando como diretor.

  • Cleber Rosa

    Que critica Rodrigo!! Parabes cara!!!

    Se já estava ansioso para ver o filme, agora estou em dobro!

  • Law

    GoG V2 e Logan dão um tapa na cara de alguns idiotas que não aceitam filmes sombrios ou coloridos , ambos de qualidade imensa e em momento algum tentam ser algo maior
    Alguém aqui vai fazer um post ” destrinchando ” todos os easter eggs ?
    Que venha Thor Ragnarok , LdJ e Homem aranha !

  • Andrey Hugo

    Valeu Rodrigo. Tomara que passem todas
    Não esqueço que em “Homem Formiga” só vi uma porque assim que a primeira acabou o pessoal vazou e os caras que arrumam a sala entraram.

  • Clementine Kruczynski

    Sou sim kk

  • Chibs

    Excelente crítica Rodrigo!
    Em todos os lugares eu vejo só elogios ao filme,dizendo exatamente tudo isso que você falou,que o James Gunn pegou tudo aquilo que deu certo no primeiro e deixou tudo maior e melhor,e ao mesmo tempo,mais intimista,que ele deu um upgrade em todos os personagens,colocou mais ação,mais humor,mais drama,etc.
    O único lugar que eu vi reclamarem dizendo que o filme não supera o primeiro foi no LH,que sinceramente,aqueles caras parece que não decidem o que querem,se você está dizendo que é melhor,eu confio mais em você.

    Infelizmente,não faço idéia de quando poderei ir ver essa delícia

  • Chibs

    Ae Felipe,eu vi ali nos rascunhos que você já está trabalhando no post sobre o Scorsese,tem previsão de quando vai lançar?

  • Chibs

    Porra velho,você me ama demais mesmo hein,não consegue ficar sem falar de mim

  • Rodrigo

    Valeu, meu amigo. Pois é, Gunn pegou tudo que deu certo e multiplicou. Com a diferença que agora não precisa introduzir todos os personagens e fazer com que virem um grupo. Ou seja, já pode ser frenético desde o começo – e ele é. Além do LH, vi outras críticas que tiraram “pontos” do filme exatamente indo nessa linha de que “não supera o primeiro”, ou “não traz a novidade que o primeiro trouxe”, o que é o tipo de coisa que eu odeio: o filme deve ser avaliado a partir dele próprio, não em relação ao anterior. Até porque para o 2 trazer alguma novidade em relação ao 1 só se fosse um filme sem humor e dramático…rs Aí seria totalmente inovador. E tem muita gente que se decepciona com esses filmes justamente por isso: vai na expectativa de ver algo melhor que o anterior ou ainda de se surpreender como se surpreendeu com o primeiro (o que é impossível, já que ninguém dava um tostão furado pelo primeiro filme até seu lançamento) e como isso não se cumpre, acha que viu algo de qualidade inferior.

  • Chibs

    Não poderia falar melhor.
    Os caras ficam enchendo o saco com esse negócio de que “os filmes tem que inovar,se não for algo diferente de tudo o que eu já vi na vida,é ruim ou inferior ao anterior”.

  • Rodrigo

    Valeu! É filme pra ver no cinema, aquele visual merece. Entretenimento puro do início ao fim. Eu espero que na fase 04 tenhamos mais franquias cósmicas além de Guardiões. Meu personagem predileto é o Surfista Prateado e as minhas histórias prediletas da Marvel estão no cosmos. O potencial é infinito, tem muita coisa de lá para vermos no cinema.

  • Rodrigo

    Valeu, meu amigo.Tenho certeza que você vai gostar mais desse que do primeiro. Assim como ambos gostamos mais de Vingadores 2 que de Vingadores 1. É a mesma situação que entra naquela velha história que falamos sobre HQs: a repetição. Guardiões 2 repete tudo que o primeiro entrega, só que vezes cinco, vezes dez. É muito mais HQ, é muito mais loucura, é muito mais surreal, é muito mais tudo.

    Se temos algumas chances de vermos sagas cósmicas mais obscuras no cinema é por intermédio do trabalho desse cineasta, que vai ser tão ou mais importante atuando como supervisor do que foi atuando como diretor.

    Perfeito. O James Gunn é muito bom. Além de dirigir com competência e ser um bom roteirista, não tem medo de buscar as coisas mais bizarras das HQs, que quando líamos, jamais imaginamos que um dia fossem ser adaptadas para o cinema. Espero que no futuro tenhamos mais franquias cósmicas além dos Guardiões, porque é no espaço que estão as minhas histórias e personagens prediletos da Marvel.

  • Rodrigo

    Valeu! Espero que goste do filme.

  • Rodrigo

    O Angel fará a crítica com spoilers, é provável que depois ele faça um post só com os easter eggs.

  • Warlock Prime

    Tudo parece encaminhar para esta direção. Será incrível se for concretizado, alguns dos melhores personagens estão no universo cósmico. Já existem muitas possibilidades, mas não custa torcer que esteja sendo selado um acordo FOX e Marvel para termos o retorno da família fantástica e todo a gama de personagens, Surfista, Destino, Galactus.

  • Rodrigo

    Valeu. A única cena que eu descrevo em detalhes é o plano-sequência inicial, todas as outras citações não dizem absolutamente nada sobre como, quando e por que tais momentos ocorrem, então todos eles (e todo o resto que nem citado foi, e tem coisa pra caramba) irão te surpreender quando assistir. Tomara que goste do filme.

    Depois do dia 5 você irá trocar o “I’m hooked on a feeling! ” por “Mr.Blue Sky, please tell us why, you had to hide away for so long!”…rs

  • Angel

    A resenha de spoiler será minha lançarei mais tarde@Black Kate

  • Angel

    Excelente crítica amigo.Vou lançar a minha mais tarde.

  • Felipe Pinheiro

    Quero terminar até domingo!

  • Eu já vi muitos reviews espalhados pela internet. Pessoas que acharam o filme bom, pessoas que acharam o filme mediano, pessoas que detestaram o filme, e pessoas (como você) que não pouparam elogios.

    Eu fico um pouco receoso desse excesso de humor prejudicar a minha experiência, mas eu confio muito no Gunn, já que, como você mesmo disse em sua crítica… Tudo que funcionou no primeiro foi quadruplicado nesse segundo, da melhor maneira possível.
    O filme é uma galhofa (no melhor sentido da palavra), então quando a parte dramática se faz presente, não destoa de todo o resto? Isso é outra coisa que me preocupa.

    Bem, acho melhor deixar as minhas dúvidas de lado, e ir ao cinema o quanto antes conferir essa maravilha. Não sei se já te disse isso, Rodrigo, mas eu sou apaixonado pelo primeiro filme. É um dos meus preferidos, não só da Marvel, mas do gênero de super heróis. Eu confio na sua opinião, então se eu voltar aqui falando que esse “foi o melhor filme da Marvel”, não se assuste!!! kkkkkkkkk

    Aliás, eu virei pra minha mãe (que é outra apaixonada pelo primeiro filme – assistimos ele pela primeira vez juntos) ontem e disse: Vamos no cinema esse fim de semana? Assistir Guardiões da Galáxia 2?
    A expressão dela até mudou. Ela abriu um sorriso e respondeu: O quê? Eu não acredito que já vai lançar! Se você não for comigo, eu vou sozinha. Já sabe, né?
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Excelente crítica, como sempre, meu amigo! Já salvei os nomes das músicas que falou no post, e vou escutá-las agora! Já entrando no clima do filme!!!

    “… passando por uma sequência na terra que é uma belíssima homenagem a dois clássicos do terror “
    Espera aí… Então teremos cenas na Terra???????

  • Incrível como o Rodrigo consegue nos deixar mais ansiosos ainda!
    Eu cheguei a me arrepiar lendo o oitavo parágrafo (aquele que começa com “Yondu”).

  • Pedro vai chegar com um derrame cerebral aqui nos comentários… kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Argumento infalível!!! kkkkkkkkkkk

  • Você que não consegue parar de responder os comentários da gente falando de você.
    Nos ama demais…

  • Rodrigo

    Valeu. Se gostou do primeiro deve gostar do segundo, a não ser que vá esperando um filme completamente distinto dele…rs Na minha lista de filmes da Marvel esse agora está em segundo.

    O filme é uma galhofa (no melhor sentido da palavra), então quando a parte dramática se faz presente, não destoa de todo o resto? Isso é outra coisa que me preocupa.

    Não, não destoa. Não sei os tipos de filmes que você está acostumado a ver, mas como eu vejo muito filme antigo, da Era Clássica de Hollywood, e mesmo de outros países, como do Japão, estou mais do que acostumado a filmes que passeiam entre drama e humor com imensa facilidade – um negócio extremamente comum em 90% dos filmes clássicos de Hollywood. Aliás, meus diretores prediletos são mestres nessa arte de misturar drama e humor em doses praticamente iguais e muitas vezes nas mesmas cenas: John Ford, Akira Kurosawa e Martin Scorsese. E todos os meus filmes prediletos fazem isso: Rastros de Ódio, Onde Começa o Inferno, Os Bons Companheiros, Janela Indiscreta, Casablanca… James Gunn está longe de chegar no nível dessa turma, Guardiões da Galáxia está longe do nível desses filmes, mas ele sabe transitar entre humor e drama como poucos na atualidade. E nesse filme faz isso muito bem: as relações familiares são o coração da história e responsáveis pela linha narrativa, pelo clímax, por tudo. Não chega a ser uma comédia dramática, como A Vida é Bela e outros, mas tem doses de drama até muito grandes para um blockbuster de aventura. E sinceramente não entendo como o excesso de humor nesse filme pode atrapalhar a experiência de alguém já que ele tem assumidamente a comédia entre os seus gêneros. Então é algo natural em sua construção.

    Sim, o filme abre com uma cena na Terra, no passado, e depois tem uma cena na Terra, no tempo presente do filme, mas bem curta. Uma homenagem muito legal a filmes “B” de terror e ficção científica.

    Aqui tem o Awesome Mix Vol. 2 inteiro em um vídeo só: https://www.youtube.com/watch?v=6DI1Wq8KzAc

  • Rodrigo

    É, com Guerra Civil foi a mesma coisa, uma semana antes aqui. Eles têm feito isso em vários filmes.

  • Rodrigo

    Será demais mesmo. Torcendo para Quarteto e Surfista terem entrado aí em um acordo. Que estejam apenas guardando a sete chaves para termos a surpresa em Guerra Infinita…rs

  • Rodrigo

    É complicado. Na sessão que eu fui ninguém saiu e eles acenderam as luzes no meio dos créditos. O pessoal reclamou e aí eles desligaram. É muita falta de senso…rs

  • Andrey Hugo

    Muita mesmo rsrs
    Se não me engano aconteceu o mesmo quando fui ver Guerra Civil ano passado.
    Em doutor estranho eles pularam os créditos finais, colocando diretamente na última cena pós-créditos.

  • Rodrigo

    Está peto! Bom filme.

  • Segundo? Atrás de qual? O primeiro Vingadores?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Bem, isso me tranquiliza bastante então, meu amigo.
    Eu disse que o excesso de humor por me atrapalhar devido a quebra de alguma coisa que estava sendo construída só pra encaixar uma piada, entende?
    Devo estar sendo chato demais. Me desculpe.

    Eu joguei “Awesome Mix Vol. 2” no YouTube e cliquei em um vídeo de compilações também! kkkkkkkkkkkk
    Mas, mesmo assim, muito obrigado pela atenção e por mandar o link!
    (Já escutei nove faixas. Estou adorando!!!!)

  • N1N6U3M

    Os sete melhores filmes da Marvel na minha opinião

    1) Guerra Civil
    2) Vingadores – Era de Ultron
    3) Vingadores
    4) Soldado Invernal
    5) Homem de Ferro 1
    6) Dr. Estranho
    7) Guardiões da Galáxia 1

    Provavelmente a minha próxima lista dos filmes ótimos será de oito filmes, incluindo esse Guardiões da Galáxia 2. O primeiro filme eu vi sem expectativa nenhuma, pois nunca acompanhei nas HQ’s.

    Talvez seja o primeiro caso de personagens que não era fã nas HQ’s ocupando as primeiras posições, pois o filme tem que ser avaliado enquanto filme e não apenas como um reflexo dos nossos hobbys e manias.

  • Rodrigo

    Não…rs Minha ordem de preferência do UCM seria essa:

    1. Guerra Civil
    2. Guardiões da Galáxia Vol. 2
    3/4. Guardiões da Galáxia
    4/3. Soldado Invernal
    5. Vingadores: Era de Ultron
    6. Homem de Ferro
    7. Vingadores
    8. Homem-Formiga
    9. Doutor Estranho
    10. Homem de Ferro 3
    11. O Primeiro Vingador
    12. O Incrível Hulk
    13. Homem de Ferro 2
    14. Thor
    15. Thor: O Mundo Sombrio

    Como eu disse, isso de ir entre humor e drama, às vezes na mesma cena, é extremamente comum e o Gunn já fazia isso no primeiro filme e faz aqui de novo. E essa transição atrapalhar é puramente pessoal. Se você visse algum filme do Ford ou do Kurosawa cansaria de ver cenas desse tipo, com o drama sendo construído e no meio daquilo tudo, o humor surgindo, e provavelmente teria a mesma sensação. A vida é assim, então eu realmente não entendo como isso atrapalha a experiência de algumas pessoas com um filme…rs, mas cada um é cada um, então beleza…rs No caso desse Vol. 2 as cenas mais emocionais (no terceiro ato) são totalmente emocionais. O humor ou vem antes delas ou depois, mas não durante as cenas, então nesse ponto não deve te incomodar. Dizer mais que isso seria revelar em excesso…rs

  • Rodrigo

    Havia lido poucas histórias dos Guardiões antes do filme, mas o modo como ele passeia pelo universo cósmico da Marvel (que eu conhecia de tantas outras histórias de Thanos, Surfista, Warlock e outros) é incrível. E o filme funciona enquanto filme. Esse segundo idem, acredito que até mais, é uma história muito redonda. Penso que é assim mesmo que devemos avaliar um filme, e não apenas por nossas manias e preferências por personagens – até porque se fosse assim o Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado seria um dos meus filmes prediletos e eu detesto o filme…rs

  • Perfeito, N1N6U3M!
    Eu também nunca acompanhei a equipe nos quadrinhos. Sei que não pediu, mas vou deixar o meu ranking aqui também:

    1) Homem de Ferro 1
    2) Guardiões da Galáxia
    3) Vingadores
    4) Soldado Invernal
    5) Homem de Ferro 2
    6) Guerra Civil

    Espero que Guardiões 2 entre na minha lista de melhores filmes da Marvel também! De preferência ocupando as primeiras posições!!!

  • Uma perguntinha, Rodrigo…
    O Adam Warlock realmente aparece no filme, ou é só uma menção ao personagem?
    Pode falar.

  • N1N6U3M

    A ideia era essa mesmo, trocar informações sobre os gostos de cada um rsrs

    Existe muita coisa subjetiva em nossas manias e gostos, mas tem também o lado objetivo e o consenso que podemos ter na hora de citar essas produções com o rótulo genérico de “ótimas”.

  • Rodrigo

    As duas coisas…rs Aparece o casulo dele de frente, em um plano, com o que parece ser uma joia do infinito no topo, e Ayesha diz “essa é minha criação mais perfeita. Vou chamá-lo de… Adam.

  • Aquele momento em que percebemos que a Marvel já tem 15 FILMES!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Às vezes nem paro pra pensar uma coisa dessas, e me assusto!

    Eu já assisti um filme do Ford (No Tempo das Diligências) com meu avô, mas não lembro de muita coisa.
    Cara, eu lembro que antes do filme ser gravado, saiu uma notícia de que o Chris Pratt havia dito que chorou lendo o roteiro de GdG2. Com certeza deve ter sido nessa cena do terceiro ato! kkkkkk

  • Com certeza! O que a Marvel Studios mais tem são filmes de qualidade.

  • QUE FODA!!!
    Obrigado, meu amigo!
    Muita gente no cinema gritou nessa hora??? kkkkkk

  • Rodrigo

    Sim, teve até um que teve um ataque histérico, gritou e bateu na cadeira e o cinema inteiro acabou foi rindo dele…rs

  • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Meu Deus… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Rodrigo

    Pois é. Quando eu saí do cinema com minha amiga comentamos sobre isso. É muito filme em pouco tempo, e nem parece que foram tantos assim. Só quando você para pra pensar sobre eles que vê a dimensão. Antes em duas, três décadas, quinze era tudo que tinha de filmes de TODAS as editoras. Surreal…rs

    Se ele chorou com o roteiro, deve ter sido no terceiro ato mesmo.

  • N1N6U3M

    Realmente, o filme funciona. Foi divertido ver o filme no cinema, as horas passaram muito rápido.

    Por isso que eu acredito que vou gostar ainda mais do segundo filme, como você consegue ser até mais neutro do que eu sobre “filmes que funcionam enquanto filmes” e está elogiando muito esse segundo filme, eu imagino que vou gostar também. No final de contas quaisquer bons filmes que sejam produzidos com essa tonelada de referências é algo que soma no conjunto e traz mais cartaz e destaque para o Universo Compartilhado.

    Quando mais cineastas do porte de James Gunn ganharem os holofotes e o respaldo das críticas, mais influentes se tornarão e mais provavelmente vão conseguir levar adiante essa filosofia de adaptação de quadrinhos realizada com qualidade, sem aquele papo batido de “filme autoral é melhor”.

    Um filme que tem toneladas de referências e tem caracterizações geniais de personagens consegue ser simultaneamente autoral e “formulaico”. É isso que os próximos filmes cósmicos da Marvel precisam, incluindo aí a torcida pela volta do Quarteto Fantástico e do Surfista Prateado.

    Ah, já ia esquecendo e lembrei agora, estou naquele projeto de leitura do Quarteto Fantástico v1 de 01 a 100 (não achei os números 101, 102 e 103) e atualmente estou lendo o FF #40.

  • Rodrigo

    Sempre tem uma criatura dessas nesses filmes…rs

  • Rodrigo

    Sim, é fantástico isso: o filme tem a assinatura do diretor ao mesmo tempo que é facilmente encaixável no resto do universo. É assim que tem que ser. O próximo filme que eu acho que conseguirá isso é Thor: Ragnarok, porque o Taika Waititi é muito bom e tão ou mais surtado que o James Gunn.

    Eu ainda estou baixando as edições, e comecei a procurar também as de Thor da fase inicial (para resenhar antes do filme). Preciso otimizar melhor meu tempo para conseguir ler essas revistas.

  • Rodrigo

    Valeu.

  • N1N6U3M

    Sim, tem que vasculhar a internet para achar os quadrinhos traduzidos.

    O melhor site é o SóQuadrinhos, mas eles usam um sistema pelo programa Apex para baixar os arquivos. O site Aquiles Grego é mais acessível, mas alguns links já estão off line.

    Eu recomendo você olhar no minhateca (mesmo que o download pode exigir uma taxa básica facilmente paga por sms de celular), pois parece que lá tem coleções completas das revistas.

    Eu juntei Journey into Mistery de 084 a 124 com o Poderoso Thor de 125 em diante quando o nome da revista e o conteúdo foi unificado a partir do número 125 se eu não me engano.

    É indescritível a sensação de ler esses clássicos! A melhor coisa que eu noto nos scripts do Stan Lee nas primeiras aventuras do Quarteto Fantástico é o recalcamento e mau humor do Coisa por ser o único monstro na equipe.

    Aquela rejeição toda e mau humor, um sofrimento genuíno tal como os estilhaços mortais que ameaçavam o coração do Homem de Ferro e eram elementos sempre presentes nas histórias é um grande diferencial, algo que faz muita falta nas histórias recentes da Marvel.

    Eu sou um inveterado defensor dos criadores originais, pra mim não tem essa coisa de “datado” (por mais que eu saiba que na prática isso existe rsrs), pois deveriam deixar Quarteto Fantástico e Ironman do mesmo modo que seus criadores os inventaram, as histórias seriam melhores.

  • Chibs

    Bom,ae sim!
    Cara,vou ter que dar aquela mendigada kkk você pode passar nos meus dois últimos posts?
    Um é sobre Metallica e o outro sobre Sons Of Anarchy

  • Chibs

    Mas são vocês que começam

  • Chibs

    Não sei porque esses caras do cinema tem tanta pressa,se o pessoal pagou pelos ingressos,eles deveriam passar o filme até o último segundo sem acender as luzes

  • Chibs

    Você mora nos Estados Unidos?

  • Chibs

    Hmm,então agora você vai reclamar do humor nos filmes da Marvel?
    É assim que começa…

  • Chibs

    Antes de Guardiões da Galáxia o James Gunn só tinha feito Filme B,que foram Seres Rastejantes e Super,então ele meio que se mantém no estilo Filme B,mas agora com alto orçamento

  • Rodrigo

    Eu baixo tudo na SoQuadrinhos. Esse Aquiles Grego não conhecia, vou procurar. Minha intenção é pegar todo esse começo da Marvel e resenhar por fases. Pegar a década de 1960 inteira. E as revistas eram pequenas, 18 páginas. É muita edição, mas dá pra ler mais rápido do que se espera.

    Eu acho que nada fica datado…rs Sou fã de filmes antigos e também das HQs antigas. Sim, o estilo é bem diferente, os diálogos são mais expositivos, às vezes mais bobos, mas caramba, tudo nasceu ali. Eu simplesmente não entendo gente que é fã desses personagens e não consegue ler essas histórias antigas porque acha chatas…rs É um material histórico e muito importante para se conhecer melhor como as coisas foram feitas.

  • Chibs

    Jipeiro está reclamando do humor nos filmes da Marvel,está insinuando que o humor quebra o clima dramático,ele nos traiu,está virando um snydeco do O Vício.
    À favor dele conhecer o Mr. Mayhem?

  • Rodrigo

    Pois é. Foi o que escrevi na crítica: Guardiões é um filme B de grande orçamento. E o resultado final disso é um negócio muito interessante…rs Até porque os quadrinhos clássicos sempre tiveram esse aspecto “B” também, essa loucura, essa falta de vergonha de ser ridículo, absurdo e exagerado. E o cara consegue emular isso muito bem.

  • Chibs

    Nice.
    Hey,você ficou sabendo?
    Sons Of Anarchy vai ser removido do catálogo da Netflix em 01/07,então,você tem dois meses pra terminar

  • Chibs

    Sim.
    Você já chegou a ver Super?

  • N1N6U3M

    Como eu disse, é uma sensação muito boa ler esses quadrinhos na cronologia correta. Conseguimos entender como foram forjadas as personalidades desses super heróis e suas identidades secretas.

    Um exemplo interessante é o lado “calhorda” do Tony Stark.

    Será que as pessoas sabem que ele fazia questão de ser interpretado dessa forma? rsrs Que fazia parte do show de alguém que esconde a identidade real?

    Que parecer ser um babaca desagradável ou egocêntrico pode fazer parte de um mesmo plano para afastar de propósito as pessoas e não criar laços afetivos com ninguém porque se é uma pessoa desenganada e com a vida por um fio?

    Tudo nasceu com esses clássicos, o mínimo que esses comentaristas da internet poderiam fazer seria respeitar esse material e tentar se informar a respeito.

  • Chibs

    Pois é.
    Bom,2 meses é bastante tempo,não precisa ver correndo,mas também não pode deixar passar…rs

  • Rodrigo

    Dele eu não vi nada. Até o fim do ano pretendo ver, vou até colocar já na lista pra download. Essa semana pretendo postar sobre Boy (chegou a ver esse?), do Taika, e aí depois de Alien vou ver se posto sobre o outro, O Que Fazemos nas Sombras.

  • Rodrigo

    Kkkkkkkkkkkkkk Não, felizmente ele não vai ficar no nível dos malucos do O Vício – se ficasse seria o equivalente a se afundar na cracolândia, porque aquilo lá é surreal…rs

    E Sons of Anarchy também tem humor à beça,,né? Tig, Chibs, Juice, Vênus e o próprio Jax que o digam…rs

  • Chibs

    Do Gunn eu só vi o Super mesmo,é MUITO engraçado,é um filme B de super-herói,com uma premissa mais ou menos igual de Kick-Ass,do cara normal tentando combater o crime,é hilário kkk o bordão do cara é ‘shut up crime’ kkkkk
    Não,esse do Taika eu não conhecia,por enquanto eu só vi O Que Fazemos nas Sombras mesmo

  • Chibs

    Kkkkkkkkk pois é,imagina só o Jipeiro acabando que nem o Stiles,por exemplo kkk

    Sim,Sons Of Anarchy tem bastante humor,inclusive um dos tópicos do meu post sobre SoA fala justamente sobre o humor da série. (Tig é o mais engraçado,rs)

  • Sim, é muito surreal!!!!
    E esse número vai crescer assustadoramente agora!

  • Ele fez o roteiro de Scooby-Doo 1 e 2 também. Cara, como eu amo esses filmes!!!

    Ah, e ele foi roteirista de Madrugada dos Mortos, do Zack Snyder (surreal, né?).

  • Chibs

    Kkkk foi justamente nisso que pensei

  • Chibs

    Ah sim,é que eu estava me referindo apenas aos trabalhos dele como diretor.
    Eu também curto bastante os dois filmes do Scooby-Doo,o Madrugada dos Mortos eu ainda não vi

  • Rodrigo

    Exatamente. Todo o cânone começou a ser construído aí. Mas pessoal acha que graphic novel em realidade paralela deve suplantar a personalidade criada em décadas de histórias…

  • Herbie: O escritor

    Eu não entendo quem ama ES mas odeia Guardiões da Galáxia.
    O nível de fanboyolagem tá piorado cada vez mais,no Vício tá cheio de DCneco e daqui a pouco mais Marvetes surgem….
    Eu vi aquela discussão sobre o Marvel Legacy,sério que aquele sujeito ainda acha que a Marvel plagiou o Rock?
    E ainda achou que foi culpa da Marvel aquele desenhista colocar aquelas mensagens na revista dos X-Men,como se ela soubesse que o cara fez aquilo…ele nem deve ter lido a revista….

  • É pra glorificar de pé, Rodrigo! kkkkkkkk

    Aliás, você viu a declaração do Kevin Feige de que talvez não teremos uma Fase 4?
    Será que a Marvel vai apostar em algo diferente depois de Guerra Infinita?
    Tipo… Universos paralelos, filmes na pegada de “graphic novels”? Será?

  • Chibs

    Mas eu gosto do Snyder.
    Eu não gostei de BvS e de Sucker Punch,mas eu gosto pra caramba de 300,Watchmen e Man Of Steel,eu gosto do estilo visual dele,o que eu não gosto é que ele é muito superficial no que diz respeito à desenvolvimento de tramas e personagens,é tudo sempre muito raso e unidimensional,mas é legal sim.

  • Chibs

    Eu ainda não fui ver o filme,então não,não era eu.
    Perdeu dessa vez,otário!

  • Eu também odeio Sucker Punch.
    Eu não acho os personagens rasos. Muito pelo contrário. O Superman dele, ainda mais em BvS, tem muitas camadas. Igual ao Batman.
    Mas, beleza, é minha opinião! kkkk

    Obs: Caramba, estamos dialogando seriamente. Nunca pensei que isso aconteceria de novo… kkkkkk

  • Chibs

    Superman e Batman do Snyder tem muitas camadas?
    Bom,vou ter que discordar,pra mim ambos apenas parecem ter muitas camadas.

    Pois é,parece que estamos regredindo

  • Os dilemas de ser uma divindade vindos do Superman (que é um cara totalmente inseguro), e os traumas do Batman, somados a sua fúria interior. Lógico que ambos são personagens que mudarão daqui pra frente, graças à evolução! É isso, tudo se baseia em uma jornada.

    Foda-se <3

  • Matt The Radar Technician

    Ontem eu finalmente revi o primeiro filme. Só havia visto uma vez e nunca me senti confortável pra julgar porque minha primeira experiência foi bem ruim por causa de fatores externos. Agora sou mais uma fã hahaha. Atrasadíssima, eu sei, mas a tempo de ver GotG2 hoje mais tarde no cinema bem mais animada.

    Vou ler o review e comentar assim que chegar.

  • Rodrigo

    Eu acho que simplesmente não teremos mais um “Thanos” – até porque, sem trazer de volta o Quarteto, não tem mais ninguém nas mãos da Marvel que eles possam usar como antagonistas de todos de uma vez só, casos de Doutor Destino, Galactus e Kang. O que provavelmente eles farão serão histórias mais soltas dos personagens, não que não venha a ter interação entre eles (acho possível que invistam em “team-ups”, como Thor e Hulk, por exemplo), mas acho que não vamos mais ter um “objetivo final”. Isso é que deve mudar. No caso dos Guardiões, por exemplo, expandir para mais histórias cósmicas (a Marvel é repleta delas) e introduzir novos personagens, mas ficando bem distante dos eventos na Terra.

  • Rodrigo

    Já te falei sobre como aquela criatura é. Está cada vez mais vendo a prova do que eu disse…rs

  • Chibs

    Cara,eu não costumo frequentar Omelete e O Vicio,mas de vez em quando eu gosto de dar uma passada pra ver você refutando as asneiras que aqueles mongolóides falam.
    Me deparei com aquela discussão no Omelete sobre V de Vingança onde o sujeito lá tava defendendo que esse era um filme extremamente complexo,profundo e revelante,cara,nunca vi tantas asneiras na minha vida kkkkkkk

  • Rodrigo

    Kkkkkkkkkkkkkk É cada uma que a gente tem que ler e responder por aí. Pior que o cara disse que V de Vingança era complexo e trazia temas relevantes e depois disse que O Sétimo Selo não era nada disso e tinha um roteiro raso…rs Excesso de filme de super-herói e HQ (sem nada além disso) faz mal pra cabeça desse pessoal…rs

  • Entendi. É, faz sentido, justamente por não terem um “Thanos”. Vamos esperar pra ver!

  • Rodrigo

    Valeu! Os efeitos, a maquiagem e todo o desenho de produção estão incríveis. Assim como o filme de 2014, o Vol. 2 deve disputar premiações nessas áreas. O funeral de Yondu foi fantástico, com todo aquele festival de cores na negritude do cosmos. Uma das cenas mais emocionais do UCM. Os Vigias com certeza estavam com a Fox. Eu só espero que não tenham entrado no acordo pelo Ego, que envolveu aquela mutante de Deadpool, mas sim em outro acordo, separado, pelo Quarteto Fantástico e todos os personagens relacionados. Imagina o Surfista Prateado no final de Guerra Infinita? E com os Vigias já mostraram que é uma surpresa que eles podem guardar, porque ninguém sequer ventilou a hipótese deles aparecerem, não teve um único rumor sobre isso…rs

  • Rodrigo

    Eles querem limpar o cinema o mais rápido possível. Não estão nem aí…rs

  • Rodrigo

    Desculpe a demora, só vi seu comentário agora. Valeu. Muita gente que vejo dizendo que não gostou muito foi exatamente por causa dessa expectativa exagerada que colocam sobre esses filmes. E este ano me parece que com certeza será melhor que ano passado. Os dois primeiros filmes de super-heróis foram excelentes, agora é torcer para os próximos quatro seguirem o mesmo nível.

  • Herbie: O escritor

    Sem problema rs
    Eu me lembro que li um comentário seu falando sobre o Kang se tornar o vilão da fase 4 da Marvel,aí no final dele,você disse que isso poderia ser uma perfeita desculpa para a substituição de atores do MCU. Então,o que eu não entendi é como ter o Kang como vilão pode ser uma solução para esse problema kkkk,você poderia me explicar?
    Estou confiante de que TODOS os filmes de heróis esse ano serão bons,Logan foi ótimo,Guardiões parece ser muito bom,MM promete muito,Spider Man Homecoming parece ser bom também,Thor Ragnarok me dá aquele certo medo mas é o Taika Watiti e Liga da Justiça também está prometendo muito.

  • Chibs

    Kkkkk complicado.
    Ow,voce não deu continuidade naquela conversa sobre o “V de Vingança extremamente complexo”,ainda tinha muito mais merda que aquele cara falou kkkk

  • Seria lindo! Já pensou os caras estão guardando ele? Só sei

  • Matt The Radar Technician

    Achei o Vol 2 sensacional. Saí do cinema já querendo ver de novo hehehe. Me diverti tanto que nem consegui ser crítica ou notar possíveis problemas. Tava feliz demais pra isso hehehe.

    Eu tava bem melhor, mas infelizmente acordei no dia seguinte com a garganta queimando. Tá bem complicado, mas vou continuar tratando.

    E como você pôde deixar de mencionar a maior surpresa do filme? A sensacional revelação do melhor vilão da Marvel, o grande TASERFACE ??????

  • Rodrigo

    O filme é muito bom mesmo. Entretenimento em estado bruto. Eu ia citar o Taserface em uma parte do texto, mas acabei esquecendo dele…kkkkkkkkkk Vilão espetacular e com um nome que impõe um respeito absurdo…rs

  • Rodrigo

    Cara, essa cena precisa acontecer em Vingadores 3 ou 4. Pode até ser sem Galactus, sem o Surfista (apesar de esperar que eles voltem pro estúdio), sem o Quasar, mas todo o resto está com a Marvel: Kronos, Tribunal Vivo, Eternidade, Vigia, Lorde Caos e Mestre Ordem, Eternidade, Estranho, Amor, Ódio e em vez de dois celestiais podem colocar logo uns quatro e os Anciões do Universo no meio…rs Uma cena dessa seria épica.

  • Matt The Radar Technician

    Já falei com o Pedro de que minha nova missão é fazer com que todas as galáxias nunca se esqueçam do grande Taserface.

    Mas sério, como é que o James Gunn consegue fazer um filme tão absurdo ser tão bom? Porque GotG 2 é ABSURDO. A cena do Pac Man me fez chorar de rir. Não acreditei que tava vendo aquilo.

  • Rodrigo

    Ele consegue isso ao unir três coisas: um trabalho competente na direção, uma despretensão absurda e um conhecimento (e respeito) incrível do material-fonte. Caramba, ele colocou Ego, o Planeta Vivo no filme. E sem tornar o personagem “crível”, “realista” ou qualquer outra baboseira do tipo. Ele olha pras HQs, pras suas loucuras, e vê que aquilo pode sim ser transportado para o cinema do jeito que está ali, com o cartoon, as cores gritantes e o absurdo. Foi como coloquei no texto: parece que ele fez um filme “B” de grande orçamento. E essa é a sensação: o filme é ridículo (no bom sentido), exagerado em tudo, só que muito bem produzido e bem dirigido. Simplesmente fantástico.

  • Matt The Radar Technician

    Comentário perfeito, Rodrigo. E eu me empolguei escrevendo sobre o filme e acabei esquecendo de comentar teu review. Também excepcional, como de costume. É exatamente o que você escreveu.

    Acho que outra coisa que eu gosto muito do Gunn é que ele não subestima o público dele. Ele confia na gente. Não sei bem explicar o porquê, mas creio que você vai entender o que eu tô dizendo hehehe.

  • Quando eu vi essa imagem pela primeira vez…meus olhos brilharam! Muita gente iria chorar de emoção.

  • Gabriel C. (Capitão América)

    Crítica maravilhosa. Adorei. Assisti o filme hoje e só pude concordar com cada palavra escrita. Caramba… Que filme incrível! Ainda estou extasiado com esse filmaço. Não sei qual prefiro entre este, e Logan. Mas logo digo que GdG2 se tornou o terceiro melhor filme da Marvel Studios pra mim.
    Que deleite para fãs de HQs. Muitas referências e easter-eggs. Acho que temos aqui, O MELHOR CAMEO DO STAN LEE! Eu gritei nessa parte! E meu pai me olhou, e eu olhei meu pai. Ficamos sem palavras! Não imaginávamos que esses personagens iriam aparecer! Simplesmente incrível. Teorias é que não nos faltam kkkkkkkkk
    Filmão, e uma excelente crítica!

  • Dave Mustaine Rebirth

    Miss me?

  • E aí, voltou de vez?

  • Dave Mustaine Rebirth

    Agora sim.
    Finalmente estou de volta!

  • Magina