Resenha | Homem Aranha Noir

Homem-Aranha Noir é uma das versões alternativas mais carismáticas do herói, indo muito além de um bom design de uniforme.  Esta série de quadrinhos da Marvel  inseriu seus heróis em abordagens de filmes noir e pulp fiction, uma jogada genial. O gênero Noir é um estilo literário e visual associado a tramas investigativas, onde temos policiais com uma carga psicológica forte, femme fatales, personagens com uma visão de mundo apática, cínica e pessimista.

“Nenhum som ou movimento. Não há ninguém aqui. Mas tem algo errado. Um odor. O mesmo cheiro que senti na noite em que o tio Ben morreu. E com certeza eu conheço o fedor de um matadouro.”

– Peter Parker

Homem-Aranha Noir se situa em um contexto político movimentado, durante a década de 30, mais precisamente no ano de 1933. A história gira em torno de um jovem Peter Parker que mora com seus tios Ben e May. A primeira grande diferença são os ideais dos tios de Peter, aqui eles se mostram como militantes socialistas. A vida do jovem muda completamente quando seu tio Ben se coloca frente a opressão de um grande gangster de Nova York, Norman Osborn, e paga com sua vida por isso. Peter acaba se tornando um jovem impulsivo e com sede de vingança pelo que ocorreu, ele é picado por uma estranha aranha africana e ganha habilidades especiais.

A ambientação em uma Nova York decadente em meio meio aos ecos da Grande Depressão e aos gritos prime-vos da Alemanha nazista é o palco onde o Aranha, agora um vigilante mais experiente após oito meses de combate ao crime, enfrenta uma nova ameaça.

A busca de Parker por justiça a todos acaba o colocando acidentalmente próximo a gangue do Duende ( Ele não é chamado de Duende Verde), e um misterioso carregamento de contrabando que contém uma exótica aranha africana que segundo a lenda é encantada, dotada de poderes místicos e é no meio desta complicação que Peter Parker, o fotografo, se torna o já lendário Homem-aranha, trajando o antigo uniforme da primeira guerra do seu falecido tio, agora ele tem a chance de fazer mais do que imaginava por sua cidade, batendo de frente com a gangue do Duende e seus homens de confiança, como O Abutre e Kraven.

Por não ser  o Aranha tradicional, a liberdade de mudar alguns de seus conceitos aqui e ali nas personalidade dos personagens, foi  muito bem vinda. A história possui um pouco mais de ação, mas é redondinha e vale a pena  a leitura.

A ilustração de Carmine Di Giandomenico, é um dos destaques da série Marvel Noir. Homem-Aranha noir é um mundo novo que pode agradar quem não conhece o herói muito profundamente, principalmente pó ser uma história fechada e nada ligada a cronologia do herói clássico, quanto quem procura mundos novos a serem descobertos ou óticas diferentes as que já estamos acostumados.

Homem-Aranha Noir (Spider-Man Noir)  EUA, 2009

Roteiro: David Hine, Fabrice Sapolsky

Arte e cores: Carmine Di Giandomenico

Editora no Brasil: Panini Comics

Ano de publicação no Brasil: 2011

Posted Under
  • Nate grey

    Muito boa a resenha, parabéns. Nunca tinha ouvido falar deste Homem Aranha Noir, me parece legal.

  • kamalla

    Excelente resenha Angel. Fiquei com vontade de ler, como gosto muito do Aranha darei uma chance.

  • Homem-Coisa Venom

    Ótima resenha cara. O Aranha Noir é foda! Ele e o Aranha 2099 são minhas versões alternativas favoritas do Homem-Aranha.

  • Achei bem interessante ele, deu vontade de ler

  • É bem provável que a Sony use Homem Aranha Noir, Aranha 2099 e Escarlate em seus filmes.

  • Homem-Coisa Venom

    Acho que você vai gostar 🙂

  • Homem-Coisa Venom

    Eu adoraria o Aranha 2099 nos cinemas. 🙂

  • H Romeu Pynto

    Otimo texto

  • Neo

    Tem na Salvat??