Resenha | X-Men: Terra Selvagem

Terra Selvagem foi um arco no qual colocou os X-Men envoltos com novos personagens – como o irmão de Ciclope, Destrutor, e a bela Polaris, juntamente a uma sequência impressionante de novos vilões, o Monólito Vivo, Sauron e os Metamorfos, culminando numa aventura  em uma ilha tropical cheia de dinossauros escondido na Antártida! No qual se deparam com o bom e velho Magneto.

Os X-Men estão vivos. Estranhamente, apesar de estarem na Antártica, o clima lá fora parece tropical. Cíclope reconhece o local. Trata-se de uma região que ficou isolada do frio e manteve suas características pré-históricas. O local conhecido como Terra Selvagem. Apesar da aparência paradisíaca, a Terra Selvagem reserva inúmeros perigos. Quando Tempestade e Banshee decidem voar (ideia de Banshee para que sua amiga relaxe), ele é atacado por um enorme pteranodáctilo. Porém acreditando que seus companheiros estão mortos, Jean Grey tem a dura tarefa de visitar o Professor Xavier e dar a triste notícia.

Os X-Men trabalham em equipe: Colossus arremessa Wolverine contra o monstro, que acaba soltando Banshee diante do ataque e este é salvo por Tempestade. Apesar da tensão entre seus integrantes (Cíclope discorda da forma impulsiva com a qual Wolverine agiu), eles finalmente encontram uma aldeia. Sem que percebam, um misterioso homem os segue e reconhece que são mutantes.

Na aldeia localizada na Terra Selvagem, os X-Men finalmente encontram alguma paz. Tempestade, que recebe vestes das nativas, se mostra mais relaxada e belíssima. Cíclope, pensativo sobre os últimos acontecimentos, percebe sua ligação com o Corsário (o herói desconhece que o pirata sideral é seu pai), ao olhar seu próprio reflexo em um rio e notar a semelhança física. Tempestade fica decepcionada com a forma com que Cíclope demonstra pouco pesar por sua amada Jean Grey. Ele justifica que ela não é a mesma mulher de antes (referindo-se a sua transformação em Fênix).

Quando Tempestade vai nadar em um lago próximo, ela é atacada pelo misterioso homem que vem seguindo o grupo. Ao tocá-la, ele parece sugar sua energia vital e se transforma. Quando os outros vão até o lago, alertados pelo grito e um raio emitido pela sua companheira, encontram uma criatura meio homem e meio pterodáctilo, ao qual Cíclope reconhece como sendo o vilão Sauron.

Wolverine é o primeiro a, impulsivamente, atacar Sauron. O vilão o domina mentalmente e faz com que acredite que os seus colegas são monstros. Cíclope é obrigado a nocautear Wolverine com uma rajada ótica para que os demais X-Men se concentrem em Sauron e livrem Tempestade de suas garras. Wolverine se recupera e, ainda sob influência hipnótica, ao olhar para Cíclope atacando Sauron, vê o líder dos X-Men atacando Fênix. Ao atacar, o mutante canadense é novamente rechaçado. Sauron ataca Peter Rasputin, mas este reverte para a forma blindada de Colossus e a transformação sobrecarrega o vilão, fazendo-o retornar a forma humana de Karl Lykos. Antes que Wolverine, finalmente sem a influência hipnótica, consiga atacar Lykos, Kazar, o senhor da Terra Selvagem, e seu tigre Zabu impedem o assassinato.

De volta à aldeia, os X-Men ouvem de Karl Lykos que, depois de seu último ataque contra os X-Men, fugiu para os confins da terra, chegando finalmente na Terra Selvagem. Lá, ele foi testemunha de um ritual organizado pela sacerdotisa Zaladane, que transformou um homem comum na criatura conhecida como Garrok, o homem petrificado, e que tinham a intenção de construir uma enorme fortaleza que iria desestabilizar a Terra Selvagem.

Apesar da ansiedade de Wolverine em poder ajudar os nativos contra Garrok, Cíclope acha emergencial que eles retornem até o Professor X para sinalizar que conseguiram escapar com vida (exceto o Fera e Fênix, que acreditam ter morrido). No caminho de volta, guiados por Kazar, percebem que parte da região está começando a ser tomada pelo gelo e neve. A Terra Selvagem está se desfazendo. Um fato interessante é neste arco pela primeira vez Wolverine cita o que viria a ser conhecido como seu famoso fator de cura.

Os heróis chegam a um ponto onde é possível ver a gigantesca cidadela de Garrok. Avistados, são atacados por guardas em suas montarias aladas que acabam sequestrando boa parte do grupo, restando livre apenas Noturno, Tempestade, Wolverine e Zabu. Wolverine envia o tigre de volta para a tribo e o trio invade a cidadela para o resgate.

No centro da cidadela, há uma arena onde podem vislumbrar seus amigos presos em estacas. Colossus, em sua forma blindada, está sendo submetido a um pequeno poço de magma. Ele mesmo se pergunta quanto tempo pode aguentar até que comece a derreter. Noturno se teleporta para o centro da arena e consegue tirar as vendas de Cíclope que usa suas rajadas óticas para livrar Colossus e tirar a mordaça de Banshee. Com os outros X-Men também auxiliando todo o grupo (e Kazar) conseguem se soltar, enquanto Garrok prefere fugir.

Garrok, seguido por Cíclope, consegue chegar até uma célula onde é possível sugar a energia do local. “Recarregado” emite rajadas contra Cíclope. O embate faz com que a estrutura se rompa e Garrok cai em um profundo fosso até o centro da Terra. Tempestade tenta resgatá-lo da morte certa, mas, em certo momento do mergulho, sua claustrofobia a impede de seguir adiante. Ela sai do fosso para reencontrar seus colegas, mas está visivelmente abalada. Mergulhou para salvar uma vida e falhou.

Com a cidadela de Garrok desmantelada, os X-Men finalmente estão prontos para voltar para casa. Para trás, fica Karl Lykos que, em sua forma humana, parece ter encontrado certa paz e a distância de suas transformações em Sauron. Em uma jangada com propulsão através das rajadas de Cíclope, o grupo sai da Terra Selvagem por um túnel e acabam saindo para uma parte do oceano antártico onde acontece uma violenta tempestade.

O roteiro esperto de Roy  Thomas, cheio de referências à época, e a arte dinâmica, fotográfica e belíssima de Neal Adams promoveram um desbunde numa fase curta, mas essencial.

UNCANNY X-MEN n°s 114 a 116 (Outubro a Dezembro de 1978)

“Desolation” – Roteiro: Chris Claremont e John Byrne, Arte: John Byrne, Arte-final: Terry Austin

“Visions of Death” – Roteiro: Chris Claremont e John Byrne, Arte: John Byrne, Arte-final: Terry Austin

“To Save the Savage Land” – Roteiro: Chris Claremont e John Byrne, Arte: John Byrne, Arte-final: Terry Austin

  • kamalla

    Excelente resenha angel.nunca ouvi falar deste arco dos X men.Daria um otimo filme de aventura

  • Herbie: De Volta ao Lar

    Essa história daria um ótimo filme dos X-Men.

  • Homem-Coisa

    Ótima resenha Angel. Tenho esse arco no encadernado de X-Men: Magneto Triunfa.

    Seria muito foda um filme deles se passando na Terra Selvagem com o Sauron como vilão.

  • Homem-Coisa

    X-Men: Terra Selvagem.

  • Herbie: De Volta ao Lar

    O título do filme já seria foda…kk

  • Angel

    Daria mesmo rsrs

  • Angel

    Obrigado amigão. Verdade, seria muito interessante explorar uma aventura deste naipe. Traria um frescor a franquia.

  • Angel

    Obrigado Kamalla. É um arco desconhecido mesmo, concordo contigo seria muito legal.

  • Mr. Doom

    Ótima resenha Angel.
    Tá aí um arco que não vejo sendo muito comentado, mas que não deixa de ser excelente. Assim como os colegas abaixo, também acredito que daria um ótimo filme. Ver o Sauron em live-action seria incrível.

  • Angel

    obrigado amigo. Tento trazer arcos que não são conhecidos por isso, para que tenha mais atenção. Tenho feito resenhas da image comics, não sei se leu. Mas trarei mais

  • Mulher Mortífera

    Ótima resenha Angel. Não conhecia este arco, a resenha está completíssima adorei.

  • Agente Daisy Johnson

    Excelente resenha Angel. X-Men são o clássico do clássico, quase não tem histórias ruins, pelo menos eu desconheço.

  • A FOX dificilmente apostaria em algo assim, eu ficaria muito surpresa se fizesse

  • Angel

    obrigado @mulhermortfera:disqus.

  • Angel

    Obrigado Daisy. Eu também desconheço hehehe ainda não me esbarrei