Resenha | X-Men: Inferno

A Saga, publicada em 1988 nos E.U.A., teve como principal personagem causadora a ruiva Madelyne Pryor, que foi casada com Ciclope (Scott Summers), no período da primeira morte de Jean Grey, tendo com ele o bebê Nathan Chistopher Summers, que viria a se tornar o Cable.

Lançada nas edições mensais dos títulos Mutantes, a saga Inferno não tem pretensão de ser um título adulto pós-moderno como muitos que surgiram na época. É uma simples história de super-heróis, mas longe de ser simplista. A história é a pedra angular de toda a saga Fênix, desde a aparente morte da Jean Grey até seu retorno à vida, aos X-Men e aos braços de Scott Summers.

Com a volta de Jean e o regresso de Ciclope no mundo aventureiro (como membro do primeiro X-Factor, Madelyne acabe se aliando aos X-Men, que na época se passavam por mortos e operavam através de uma cidade fantasma no deserto australiano, antiga base dos Carniceiros de Mutantes.

Porém, Madelyne ( na saga é revelada como um clone idêntico de Jean Grey, criada pelo Senhor Sinistro, para ter um filho com Ciclope e gerar o mutante perfeito) não aceita a rejeição de Scott e se alia a dois demônios, oriundos da dimensão infernal conhecida como Limbo: Nastirth e Sym. Se transformando na “Rainha dos Duendes”, tencionando abrir um portal definitivo entre o Limbo e a Terra, transformando o planeta em um verdadeiro Inferno.

Com o início da fusão (cujo epicentro era o edifício Empire State, em Nova York), as pessoas primeiramente começaram a ter comportamentos agressivos e malévolos, sendo posteriormente transmutacionadas em demônios do Limbo. Até mesmo objetos inanimados, como cadeiras e telefones eram infectados com espíritos demoníacos e assumiam consciência. A abertura do portal foi potencializada com a tentativa de homicídio de vários bebês (utilizados como vértices de pentagramas nos céus de Nova York) e seria concretizada com o sacrifício de Nathan Christopher Summers pela própria Rainha dos Duendes.

O núcleo principal das histórias se concentram em X-Factor 33-40, X-Terminators 1-4, X-Men 239-243, New Mutants 71-73 e a história backup de X-Factor Annual #4. No Brasil a saga foi lançada apenas uma vez entre agosto e novembro de 1992 na revista X-Men números 46 à 49

Posted Under
  • Apesar da arte feia na minha opinião, gostei desta saga sombria.

  • kamalla

    Ótima resenha. não conheço essa história. Mas achei meio sem noção,porque não tem nada haver com os mutantes, foge do estilo deles, eu acho.

  • Homem-Coisa

    Os X-Men já tiveram histórias que fugiam do estilo deles, como por exemplo a Saga da Ninhada.

  • Homem-Coisa

    Ótima resenha. Eu nunca li essa história, mas eu tenho muita vontade de ler. Pena que a Panini nunca lançou um encadernado aqui no Brasil…

    Adoro a Madelyne Pryor, apesar de achar ela muito sexualizada.

  • kamalla

    Nunca li esta hauhauhauhau

  • Obrigado meu amigo. Ela está hipersexualizada realmente. Os anos 90 sofria disso. Infelizmente a Panini está nos devendo uns encadernados marotos.

  • Homem-Coisa

    Eu li pela Internet a um tempo atrás. É uma história cósmica, onde o Ciclope descobre que o Corsário é pai dele, ai os X-Men se aliam aos Piratas Siderais para resgatarem a Lilandra e lutarem contra a raça da Ninhada. É nessa história que a Kitty encontra o Lockheed.

  • kamalla

    Parece legal, mesmo parecendo a historia de Guardioes da Galaxia vol. 2 hauhauhau To achando que James Gunn deu uma lidinha nessa historia

  • Homem-Coisa

    Kkkkkkkk vdd
    A História do Ciclope com o Corsário é bem patecida com a história do Peter e o Ego.
    Haha o James deve ser fã de todas as histórias cósmicas da Marvel.

  • Homem-Coisa

    Odeio quando sexualizam um personagem assim, tanto mulher quanto homem. As vezes eles sexualizam tanto que fica algo ridículo de tão tosco.

  • kamalla

    Isso é bom, porque mesmo não a gente não vendo a maldita fox fazendo essas adaptações, a Marvel pode se auto plagiar HAUHAUHAU E veremos do mesmo jeito

  • Concordo contigo.

  • Nate grey

    Ótima resenha. Não consegui achar está historia, hoje em dia é difícil encontra-lá;

  • Mulan moon

    ótima resenha. X-Men é cheio de historias icônicas.

  • obrigado Mulan. verdade

  • Obrigado Nate. Realmente não tenho onde te indicar, fora o Read Comics Online. Se voce ler em ingles será sussa para ti

  • Obrigado Kamalla. Foge um pouco mas é divertida

  • Munn Rá : O de Vida Eterna

    Mas não seria anos 80 ?