Recomendação | Assassination Classroom (2015)

Assassination Classroom (Ansatsu Kyoshitsu) é um mangá escrito por Yusei Matsui para a revista Shonen Jump, publicado entre 2012 e 2016, o qual recebeu uma adaptação em anime em 2015, feita pelo Estúdio Lerche, com 47 episódios divididos em duas temporadas, mais um OVA (Episódio 0).

Na trama, um estranho ser, similar a um polvo sorridente, diz ser responsável pela destruição de 70% da Lua, deixando-a em forma crescente, e promete fazer o mesmo com a Terra no prazo de um ano. Sua única exigência é assumir a função de professor substituto da Classe 3-E do Colégio Kunugigaoka, considerada a pior turma da escola. Os alunos, então, recebem do governo a missão de matar seu professor, em troca de uma recompensa bilionária. Mas isso não será uma tarefa fácil, pois a criatura, apelidada de “Korosensei” (algo como “Professor Impossível de Matar”, em japonês) move-se em velocidade Mach 20 – ou seja, 20 vezes a velocidade do som – e tem diversas artimanhas para evitar seu assassinato.

Pela sinopse envolvendo monstros, ameaças e assassinatos, você poderia presumir se tratar de um anime de terror ou suspense. Mas Assassination Classroom vai na direção contrária e prefere apostar na comédia, brincando com o absurdo da situação e as confusões vividas pelos personagens, com um tom leve e agradável. Há inclusive algumas quebras da quarta parede, referenciando acontecimentos do mundo real e elementos da cultura pop. Nem mesmo outras publicações da Shonen Jump escapam da zoeira.

No entanto, o anime não se sustenta apenas no humor para conquistar o público, intercalando a galhofa com o drama, o suspense e a ação de forma muito natural. Há todo um mistério em cima da figura do Korosensei, sua origem, suas motivações e a natureza de seus poderes, que vão se desvendando pouco a pouco. A história é contada sem pressa, desenvolvendo seus personagens gradualmente e prendendo a atenção do espectador. O roteiro reserva ainda grandes surpresas e reviravoltas, que não convém revelar aqui.

Falando nos personagens, a classe tem mais de 20 alunos, e o roteiro procura dar atenção a cada um deles em algum momento, de modo que não temos exatamente um só protagonista. O mais próximo disso seria Shiota Nagisa, um estudante tímido e ingênuo, que é o mais dedicado da turma, buscando sempre anotar os pontos fracos do Korosensei; este, por sua vez, é a peça central que move toda a trama, mas prefere ficar na posição de coadjuvante/alívio cômico na maior parte do tempo, deixando seus alunos assumirem a frente da história – até mesmo para manter sua aura de mistério.

Quanto à animação, o estúdio Lerche era praticamente desconhecido até produzir este anime, mas fez um bom trabalho, com um estilo visual bem único, de traços grossos que destacam os personagens com relação aos cenários. A trilha sonora é bem colocada, ditando o tom certo para cada momento, e os temas de abertura e de encerramento são cativantes, alguns mais alegres, outros mais melancólicos.

Enfim, recomendo fortemente assistir Assassination Classroom. É uma obra que foge bastante do lugar-comum, trazendo uma história tão original quanto bizarra, que vai te surpreender, te fazer rir e, principalmente, te emocionar pelo caminho. Até mesmo você que não curte animes mais voltados para comédia ou drama pode aprender uma ou duas coisas com o Korosensei.

E você? Já assistiu a esse anime? Pretende começar? Compartilhe com a gente suas opiniões no espaço abaixo e, se tiver alguma sugestão para um futuro post aqui no site, comente também! Obrigado pela atenção!!