Resenha | GTO (Grand Teacher Onizuka)

GTO (Great Teacher Onizuka) é um premiado manga de shonen.Foi lançado em 1997 e escrito por Tohru Fujisawa.Nos anos 90, aqui no Brasil a febre de mangas/animes ainda era Cavaleiros do Zodíaco/Dragon Ball, o que fez muitos não saberem da cativante obra que é “GTO”. Porém, nesse ano de 2017 além de sites de streaming estarem disponibilizando o anime, nós também temos a publicação do manga aqui nas nossas terras.

Começamos a história sendo apresentados ao protagonista Eikichi Onizuka, um ex-membro de gangue, terminando a universidade, que se considera um completo fracassado por não conseguir um bom emprego. Onizuka passa os dias no shopping tentando espiar as calcinhas das estudantes do colegial que passam por ali. É em um desses dias que ele conhece uma dessas garotas e fica sabendo que ela namora um professor.
Ao saber disso Onizuka fica obstinado a conseguir trabalhar como professor e é aí que começa seu longo caminho de descobertas na área do ensino.

Por mais que o Onizuka comece a serie sendo apresentado como um bad boy, delinquente e pervertido, ele é na verdade, extremamente inseguro e tímido.Ao mesmo tempo que isso proporciona grandes risadas nos momentos de humor, também traz grandes lições e autodescobertas para Onizuka. O protagonista acaba desenvolvendo seus valores e princípios como professor, a medida em que tem que ajudar alunos problemáticos ou turmas que são consideradas como as piores do colégio.

O manga traz um ritmo muito bom, balanceando os momentos de humor, ação e aventura. Tudo isso somado a ótima ambientação do Japão retratada na história (crise econômica, ambiente escolar), fazem você realmente sentir o clima em que aqueles personagens estão vivendo. A obra também já teve 3 adaptações em live action(1998, 2012 e 2014) e em anime (1999), que fazem jus a obra original e tem seu valor próprio também. As séries live action são engraçadíssimas e a animação além de ser bonita, também tem uma das minhas aberturas de animes favoritas.

Grand Teacher Onizuka está no seu segundo volume no Brasil. Apesar da edição ter alguns incômodos como letras pequeníssimas, vale a pena pela história e qualidade da capa/papel, sobrecapa (a famosa jaquetinha de manga). O primeiro volume veio até com brindes, como cartão postal e marca páginas que são um ótimo adicional para os mais aficionados.Enfim, para qualquer fã de animes e mangas dos anos 90 ou mesmo de obras mais atuais, GTO é uma obra altamente recomendável. Tanto pelo seu conteúdo e temática escolar atemporal, quanto pelas características de um shonen diferenciado, que serviram de referência para algumas obras que vieram depois.

Comments are closed.