Recomendação | Vampire Princess Miyu

Miyu é uma guardiã, destinada a reencaminhar os “shinmas” para a escuridão. A escuridão é a denominação da realidade original de onde saíram as criaturas com capacidades e poderes que abalam os humanos mais vulneráveis manipulando as fraquezas destes últimos – fraquezas que podem ir desde a ambição, do desejo, da solidão até a uma simples ingenuidade. Miyu alimenta-se de humanos, no entanto esta concede-lhes a felicidade eterna em troca do processo que lhe garante a subsistência. A princesa vampira contará ainda com o apoio de Larva, um ex-shinma ocidental.

A própria protagonista Miyu, não é uma protagonista convencional, muitos otakus a consideram como uma ‘’Sailor Moon Dark’’, porém Miyu vai mais além. Ela não é a típica personagem que dará alento ou injetará coragem nas vítimas dos shinmas. Pelo contrário, ela alimenta-se das vítimas dos shinmas dando-lhes o golpe final, algo que as remeterá numa felicidade fictícia e absolutamente desvinculada do mundo – uma espécie de cinismo cíclico justificado pela própria necessidade de Miyu em subsistir de forma a também ela realizar o seu destino – uma estranha obsessão que parte de uma personagem eternamente solitária.

Nos aspectos técnicos, Vampire Princess Miyu parece estar atrasada no tempo desde o tempo das quatro OVAS que lhe deram origem: 1988. Os efeitos sonoros, a dinâmica da animação, as cores, o traço, todos estes aspectos surgem colocados a níveis inferiores quando comparando esta obra com outros trabalhos.

As lutas são francamente limitadas, sem nada que faça arregalar o olho. A história em si peca por escassa – explica pouco e complica ainda menos. Em 26 episódios com 25 finais dos casos fechados, nenhum deles soube ser verdadeiramente feliz…

Contudo, é uma personagem enigmática e interessante. Trata-se de uma heroína atípica, obcecada com o destino e onde nada importa para além disso, morra quem tiver que morrer. É uma personagem que foge em muito aos estereótipos tradicionais do bom/mau a que estamos habituados, ganhando a série pelo menos este pico de originalidade.

Comments are closed.