Recordando | Sakura Card Captors

Cardcaptor Sakura, conhecido no Brasil como Sakura Card Captors e em Portugal como Sakura, a Caçadora de Cartas, é uma série de mangá do gênero mahō shōjo criada pelo grupo CLAMP (Elas também fizeram Guerreiras Mágicas de Rayearth, que passou no Brasil e em Portugal, na Rede Globo e no Canal Panda, respectivamente) e serializada na revista Nakayoshi, com 12 volumes, de 1996 a 2000.

De família

O mangá e o anime são bem parecidos, isso porque a verdadeira diferença entre eles estava escondido por debaixo dos panos. Como todos devem saber, a protagonista é a meiga Sakura, que sem querer abre um livro mágico deixando as cartas Clow escaparem. A partir daí Sakura precisa capturá-las novamente e para isso contará com a ajuda de Kero, o guardião das cartas.

Sakura Kinomoto é uma garota de 10 anos, estudante da fictícia cidade japonesa de Tomoeda, que por acidente abre um livro misterioso, chamado Livro Clow. Do livro saem 52 cartas mágicas levadas por uma tempestade de vento causada pela magia da carta Vento, que foi libertada quando Sakura leu o seu nome. Kerberos, o guardião das cartas (uma criatura muito parecida com um animal de pelúcia bem pequeno), surge do livro e conta a Sakura que as cartas foram espalhadas por toda Tomoeda e é seu dever capturá-las de novo, tornando-a uma cardcaptor.

O mangá teve algumas ‘pequenas’’ polemicas para nós ocidentais. O professor Terada, que tinha uns 30 anos, estava tendo um relacionamento com uma menina de 10. No anime eles deixam isso bem no escuro e o sentimento não era correspondido. Por outro lado, no mangá esse amor era completamente correspondido. Rika é apaixonada pelo professor e no mangá tem até uma cena de beijo e um anel de compromisso. Muitos fãs ficaram indignados com isso.

E  quem não se lembra da fofinha da Tomoyo, melhor amiga de Sakura? Acreditem ou não, mas ela tinha uma quedinha pela protagonista sim. De novo você leu certo. O mangá tinha menções de yuri por parte da Tomoyo, mas Sakura acaba se apaixonando pelo Shoran Li… Já Tomoyo fica sozinha.

Algo que o anime chegou a insinuar foi que o irmão da Sakura, Touya, podia estar apaixonando por Yukito. E é verdade, mas acho que isso não surpreendeu ninguém. a animação nunca explorou de maneira tão evidente a diversidade de sentimentos e relacionamentos que sua versão original apresenta. Seja pela censura do público alvo, a plataforma mais abrangente ou o simples conservadorismo da mídia digital japonesa ao assunto.

O final, aliás, pode vir a frustrar muitos. Mesmo com uma construção primorosa e detalhada de amor, da quebra de paradigmas, o que vemos e a consumação de um casal tradicional, enquanto Tomoyo, pelo jeito, ficará solteira pro resto da vida, ou como sua mãe, se adaptará a sociedade enquanto segue contente pela felicidade de sua amada.

Talvez tenha faltado ousadia, afinal, um shoujo destinado ao público infantil terminar com Sakura + Tomoyo iria gerar uma boa polêmica, ainda que revolucionária (só Utena foi longe), mas independente disso, poucas vezes se discutiu tão bem.

Curiosidades

  • O cargo de Card Captor é algo que já está na família da personagem há um tempo. O avô da Sakura (pai da Nadesiko) já foi um card Captor. Esses poderes foram para a mãe dela, que embora não tenha sido uma Card Captor, tinha poderes mágicos. É por isso que seus filhos (Toya e Sakura) podem usar a magia.
  • Ao final de cada episódio do anime, no Japão, existia um segmento chamado “Kero-chan ni Omakase” que significa algo como “Deixe com Kero” (aqui usaram “Seção Kero”). Nele Kero descreve alguns objetos dos episódios. Outro segmento que foi cortado no Brasil é uma pequena animação que aparece antes dos comerciais. Porém, esqueceram de tirá-la no segundo episódio. Alguns desses segmentos foram exibidos no Brasil quando o anime foi para o Cartoon Network.
  • Assim como em muitos animes famosos no Brasil, o público é muito apegado às vozes brasileiras entregues aos personagens pela equipe de dublagem no Brasil.  São eles: Sakura – Daniela Piquet Touya – Vagner Fagundes Tomoyo – Bullara Shaoran – Fábio Lucindo Kero/Kerberus – Ivo Roberto Yukito Tsukishiro/Yue – Rodrigo Andreatto

Comments are closed.