Crítica | Homem-Aranha: Longe de Casa (2019)


Estamos nos acostumando com o fato de que filmes de super-heróis não nos dão um tempo, mas certamente precisamos de uma mudança após os eventos chocantes Vingadores: Ultimato . Para isso, nada melhor do que a juventude e a sagacidade de Tom Holland no Homem-Aranha: Longe de Casa , o filme que encerra a Fase 3 do Universo Cinematográfico Marvel .

Os eventos acontecem logo após a batalha com Thanos , então recomendamos que você não continue lendo esta crítica se você ainda não viu Ultimato . Se você está pronto para a ação, então lhes dizemos que estamos vendo um Peter Parker que retornou à sua vida normal no ensino médio. E agora foi participar de uma viagem de fim de curso para vários países da Europa.

Tanto Peter Parker quanto o resto do mundo são marcados pelo que o Homem de Ferro fez na batalha final, então agora o protagonista se pergunta se ele é capaz de viver de acordo com seu mentor. Quando os meninos começam sua jornada, eles começam a encontrar monstros elementais estranhos que destroem tudo, mas um herói desconhecido que rapidamente apelidado de Mysterio (interpretado por Jake Gyllenhaal ) ,apoiado por Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Maria Hill , Mysterio conta que ele vem da Terra de um universo paralelo que foi devastado por esses monstros.

Assim, o Homem-Aranha Longe de Casa trabalha esses dois grandes desafios. Por um lado, encontra uma maneira de ajudar Mysterio a descobrir seu verdadeiro potencial como herói. Por outro lado trabalham romance com MJ, aka Michele Jones. O personagem interpretado por Zendaya, agora se torna um interesse romântico expressivo. O filme tem um primeiro ato que bebe das comédias típicas de romance adolescente, é claro pontuado por humor “made in Marvel” e a presença de lado já visto em Homem-Aranha: De Volta ao Lar, com menção especial para algum divertimento Betty Brant e Ned , eles têm o lado mais cômico do gênero.

O diretor Jon Watts ouviu as principais críticas de De Volta ao Lar referentes a ação, e podemos ver o Homem Aranha em execução todos os tipos de cambalhotas, atirando teias de aranha, balançando de dezenas de perigos em câmera lenta. Tudo isso, apoiado por um Jake Gyllenhaal sempre profissional e eficaz, que dá muita presença ao personagem Mysterio em cenas de ação grandiosas. Este conjunto faz Homem Aranha: Longe de Casa ser um filme muito mais dinâmico que seu antecessor. Boa parte dos fãs apreciarão especialmente os novos figurinos do Homem-Aranha (sim, há mais de um).

Mas infelizmente Homem-Aranha: Longe de Casa é inferior em alguns aspectos ao primeiro filme solo de Tom Holland, justamente por tratar-se de um roteiro muito mais interessado em ação e foco no romance clichê e sem muita química, do que realmente desenvolvimento do Peter Parker como o primeiro conseguiu fazer muito bem.

Temos que “suportar” aquele primeiro ato mais focado na vida cotidiana e nos interesses amorosos de Peter, que se torna um pouco arrastado demais. Quando as coisas começam, este filme da Marvel começa a desfrutar de sua própria identidade, enquanto difere dos trabalhos anteriores do Aranha, com esse cenário para vários países da Europa.

Embora o filme faça sentido por si só, ele tem uma forte conexão com o resto do UCM. Happy Hogan (Jon Favreau) age como uma espécie de lembrete do legado de Tony Stark para Peter e tem muito tempo de tela. O mesmo vale para Nick Fury , que também é crucial nos eventos. Que tia May de Marisa Tomei, em contra parte parece um personagem um pouco perdido nesta parte, embora tenha algum tempo. Apesar de ter a mesma personalidade de sua contra parte nos quadrinhos, ter senso de responsabilidade e insegurança . Também tenha em mente que este Peter Parker é um Homem-Aranha mais “tecnológico” do que o habitual, graças em parte àquele novo e interessante gadget: algo tão aparentemente simples quanto os óculos de Tony Stark …que podem desagradar os fãs mais conservadores. O que até entendo, já que por muitos anos o Homem Aranha foi retratado como um personagem sem grandes recursos. Ainda assim é melhor que muitos filmes antecessores do Aranha, apenas Homem Aranha 2 de Sam Raimi continua invicto.

O Homem Aranha Longe de Casa inclui duas cenas de pós-crédito que estão entre as melhores da UCM, mas apenas uma tem importância para ser trabalhado no próximo filme.

Homem-Aranha: Longe de Casa- 2019 (Spider-Man: Far From Home-EUA)
Direção
: Jon Watts
Roteiro: Chris McKenna, Erik Sommers
Elenco: Tom Holland, Jake Gyllenhaal, Zendaya, Samuel L. Jackson, Cobie Smulders, Jacob Batalon, Angourie Rice, Marisa Tomei, Jon Favreau, Tony Revolori
Duração: 129 min.

Comments are closed.