Crítica | Mulan (2020)

A nova versão de Mulan que está disponível no Disney + e em breve no Brasil quando a plataforma estrear. Deve ter em mente que não segue o desenho animado ao pé da letra: busca seguir um caminho mais maduro digamos e adota um ponto de vista mais dramático e transcendental.

Mulan é a aventura épica de uma jovem intrépida, que se disfarça de homem para lutar contra os invasores do norte que atacam a China, algo em paralelo tanto a lenda quanto a animação. Hua Mulan é a filha mais velha de um guerreiro condecorado e é enérgica, determinada e extremamente rápida. Quando o Imperador publica um decreto segundo o qual um homem em cada família deve servir no Exército Imperial, ela decide tomar o lugar de seu pai doente sob o nome de Hua Jun, tornando-se um dos guerreiros mais famosos da China.

A primeira grande diferença entre o original e o live action, é que aqui a sua “transformação” em homem, não se dá com sua icônica cena com seu corte de cabelo, o importante aqui é exatamente o contrário, sua segunda conversão para ser uma guerreira sendo fiel a si mesma. E esta é a grande joia escondida no roteiro escrito por Rick Jaffa, Amanda Silver, Elisabeth Martin e Lauren Hynek : e também é o coração da história.

O live action deixa claro que não é uma tentativa de apenas copiar a animação e era necessário que não o fizesse para atualizar a história vinte e dois anos depois e adicionar camadas que tornassem a história é devidamente atraente e crível . A delicadeza e o respeito com que aborda questões como honra familiar, feminilidade e masculinidade e algumas coreografias de combate.

Algo que devo destacar é a fotografia do filme, que é maravilhosa, e as paisagens lindíssimas ajudam bastante a elevar a atmosfera da história. A trilha sonora não é um ponto forte, ela cumpre o seu proposito,mas não é memorável, e nem marcante o suficiente para te deixar emocionado em cenas ”dramáticas”.

Mulan mesmo tendo muitos acertos, há muitos clichês e infelizmente perde em comparação ao original ao escolher o famoso plot de ser o ”escolhido” (a), em um propósito maior. Como se fosse destino, e acaba tirando aquele brilho que vimos no desenho, de ter enfatizado o mérito e a conquista da protagonista. Claro, isso não atrapalha o andamento do filme, muitos podem nem se importar.

No geral Mulan é um bom filme, vale a pena ser conferido. Como citei já preparado para ver um trabalho diferente da animação, pois segue seu próprio caminho.

Comments are closed.