Mulan | Governo chinês ordena que a mídia não cubra o filme da Disney

O remake de Mulan em live-action da Disney foi cercado de polêmica por pelo menos um ano, com mais problemas surgindo após o lançamento do filme. Foi recentemente revelado nos créditos do filme que a produção ocorreu parcialmente na região autônoma de Xinjiang, também conhecida como Turquestão Oriental, onde vários governos e organizações reconheceram que as autoridades chinesas continuam a prender e torturar até dois milhões de uigures, como bem como outros grupos muçulmanos, em campos de reeducação.

Foi relatado que as autoridades chinesas agora ordenaram os principais veículos de notícias em todo o país para evitar a cobertura do próximo lançamento do remake live-action da Disney. Embora uma razão oficial não tenha sido fornecida a esses meios de comunicação, há especulações de que a reação no exterior contra o filme, e suas ligações com Xinjiang, levou à proibição de cobertura.

As filmagens de Mulan aconteceram na Nova Zelândia e na China, mas só recentemente foi revelado – nos créditos do próprio filme – que a produção aconteceu na cidade de Turpan e nos arredores. Para aumentar a polêmica, estava o fato de que os créditos de Mulan agradeciam especialmente ao Departamento de Publicidade do Comitê da Região Autônoma Uigur de Xinjiang, uma das autoridades responsáveis ​​por supervisionar o conteúdo da mídia em vários setores e garantir a adesão à ideologia e aos valores do partido na região .

Além disso, os créditos mencionavam o Departamento Municipal de Segurança Pública de Turpan, que os especialistas sugeriram supervisionar os campos de reeducação. A mídia estatal chinesa criticou a reação como “outra manifestação das ideologias extremas em relação à China entre a opinião pública dos EUA”.

Fonte: CBR