Crítica | Devilman Crybaby (2018)

O ano passado foi comemorado o 50º aniversário da carreira de Go Nagai, criador de Mazinger Z e um dos autores de manga mais influentes de todos os tempos.  Devilman, marcou várias gerações com suas histórias emocionantes e sua abordagem extrema e ousada. Para comemorar o aniversário, essa obra foi ”ressuscitada” com Devilman Crybaby, um novo anime que já está disponível no Netflix .

Na verdade, é uma espécie de versão moderna do original, embora inclua alguma metalinguagem: seus personagens conhecem a série original de desenhos (você pode ouvir seu tema principal), e é por isso que eles adotaram o nome Devilman. Em qualquer caso, você não precisa conhecer a história original. Isso pode surpreendê-lo ainda mais.

A história de Devilman Crybaby começa quando Akira, um rapaz bem-intencionado e empático, encontra-se com seu amigo de infância Ryo, que revela a ele que todos os tipos de demônios estão escondidos no mundo e deve ajudá-lo a detê-los. Para isso, Ryo faz com que vários demônios ataquem em uma boate onde ambos estão, o que faz com que um dos mais poderosos, Amon, possua o corpo de Akira. O corajoso coração do protagonista consegue assimilar o demônio sem perder sua essência humana. Assim, Akira pode se transformar em um demônio quando ele precisa, mas sua aparência e coração permanecem humanos. É uma mistura de dois seres.

Devilman Crybaby

A partir daí, este anime da Netflix nos apresenta uma cruzada violenta para encontrar o resto dos demônios, entender a origem do seu mal e exterminá-los antes que eliminem a raça humana. É interessante a dinâmica dos dois protagonistas, Ryo é frio e calculista enquanto Akira o oposto, embora depois da posse tornou-se mais confiante e violento, ainda é capaz de lutar e sentir emoção, chorar pelos humanos. Daí o slogan “crybaby” (“weeping”).

O que pode parecer apenas mais uma história de ação,  se torna uma verdadeira sinfonia de gore, erotismo e emoções extremas.  Devilman Crybaby , mesmo com algumas partes  psicodélicas, possui desmembramentos, cenas de sexo explícito e as mais diversas crueldades . Embora esta hiper violência possa saturar um pouco no início para os espectadores menos habituados ao seinen. Há muita culpa, redenção e reflexão sobre a nossa natureza  humana na história, algo que atinge seu clímax nos últimos três episódios da série (há 10 episódios no total, cerca de 25 minutos cada).

Devilman Crybaby

O próprio Akira / Devilman é aquele que melhor representa esta dicotomia no ser humano e, em suma, é o personagem com mais camadas da história: pode ser extremamente violento, mas ao mesmo tempo parece ser o único capaz de vislumbrar a parte mais nobre do ser humano. Tudo isso está nos levando a um resultado verdadeiramente memorável, cujos últimos segundos deixarão todos embasbacados.

 O diretor frenético Masaaki Yuasa concebeu uma série em cuja estética prevalecem os traços rápidos e limpos com cores planas e pastel, embora ele não economize em filtros e efeitos de iluminação CG quando necessário. Tudo isso é impulsionado com uma animação muito fluida, que se parece especialmente aos momentos mais violentos e extremos.  É impossível não pensar em clássicos como Urotsukidoji nos primeiros capítulos e saltar para parcelas escorregadias como Death Note na segunda metade da série.Os últimos e tremendos combates são incríveis que não sei se foi de proposito mas lembra as lutas do game  Asura’s Wrath .

Devilman Crybaby

Para acompanhar, temos uma trilha sonora que combina com o techno muito bom de ser ouvir, com momentos grandiloquentes pontuados . Devilman Crybaby é uma série de tirar o fôlego, que mantém uma certa nostalgia pelo original (o que é especialmente notável no design de personagens). Este anime da Netflix continua a fortalecer a aposta da plataforma com  animes. Em qualquer caso, podemos dizer sem medo de estar errado que, que está acima do Cyborg 009 ou Castlevania , este é o anime mais interessante  que a plataforma de transmissão  tem até agora.

  • Nataniel

    Crítica excelente. Que anime mano, foi a melhor aposta da Netflix certamente, a história é forte, as cenas também. Um dos melhores animes lançados do momento. Go Nagai é um gênio por ter feito uma obra dessas há muitos anos atrás.

  • Obrigado. Eu simplesmente achei incrível, conseguiu trazer coisas novas e ser fiel ao mangá